CRISE: Eduardo Paes diz que crise política atrapalhou um pouco as obras, mas a Rio 2016 trará alegria ao país;

0

Em entrevista ao jornalista Italo Nogueira, o prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes, avalia que a Rio 2016 foi contaminada pela combinação de crise política e econômica, mas diz que o legado dos jogos será reconhecido pela população.

“A visão da Olimpíada como um todo acontece ao longo do tempo. Não vai acontecer por causa da distribuição de medalhas. É uma análise posterior. Não há mau humor com a Olimpíada. Há mau humor generalizado no Brasil. Há crise econômica, desemprego, inflação, crise política, impeachment, divisão política. A Olimpíada ajuda a tirar o mau humor”, disse ele.

Paes avalia que a cidade fez a sua parte e que o legado dos jogos será reconhecido pela população. “Do ponto de vista de transformação urbana, tenho certeza que o tempo vai mostrar que a nossa é muito mais profunda do que a de Barcelona”, afirma.

Ele também afirma que, para a prefeitura, os resultados são muito positivos. “Já valeu. A Olimpíada ainda vai ser vista no futuro como um raro consenso municipal, de projeto de cidade. A partir da década de 1990, o plano estratégico do primeiro governo César Maia define sediar a Olimpíada como um elemento transformador para a cidade que tinha perdido suas vocações. César Maia perseguiu isso. Palmas para ele. O [ex-prefeito Luiz Paulo] Conde perseguiu isso. César Maia voltou a buscar [quando voltou a ser prefeito]. E eu consolidei esse processo. Não é fruto nem desejo da minha administração. Tenho a oportunidade de consolidar o processo.”

você pode gostar também Mais do autor

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.