FAZ PARTE DO GOLPE: Renúncia de Cunha foi intelectualmente articulada por Temer; CONFIRA!

0

Um observador político em contato telefônico com a nossa equipe informou de Brasília, que a renúncia de Cunha, está previsto no “GOLPE” armado para tomar o país definitivamente das mãos do PT e conseqüentemente da presidenta afastada Dilma Rousseff.

Segundo a mesma fonte, tudo começou com a reunião misteriosa entre Temer e Cunha no Palácio do Planalto, em um domingo à noite, fora da agenda Oficial e que deixou a oposição e até aliados do governo, vivendo um clima de pura perplexidade.

O fato é que antes do episódio, o presidente Interino teria recebido uma ordem da Rede Globo, e de parte da grande mídia, para descartar o então presidente da Câmara, pois o mesmo já havia dado a sua colaboração, quando abriu o processo de impeachment, contra a presidente , além de que a presença dele indiretamente nos porões do Planalto, poderia causar transtornos perante a opinião pública, bem como também junto ao STF que havia afastado Cunha do mandato e da presidência da Casa, sem poder pelo adentrar no parlamento.

Na época, Cunha e a mulher que também está sendo investigada na Operação Lava Jato, ficaram ao ponto de admitir uma delação premiada. Segundo os seus aliados, derrubaria o governo Temer, facilmente, pois os comentários inclusive da oposição, eram que o parlamentar do (PMDB-RJ), tornaria o governo interino com uma única delação insustentável.

Claro que Cunha já encontrava-se na época no fundo do poço. A mulher e a filha estavam desesperadas com a situação, e usou essa arma como chantagem para ameaçar delatar o governo Temer, com o intuito de ser arrancado das trevas, para uma posição confortável.

Depois dessa conversa com Temer a situação de Cunha melhorou assustadoramente, exemplo disso, foi a sua mulher não ter sido mais incomodada pela Polícia Federal, que por diversas vezes tentou intimar a mesma, sempre com a versão de que não conseguia localizá-la.

O que se comenta nas rodas políticas em Brasília, é que Temer teria tomado todas as providências urgentes e precisas, para que o então presidente da Câmara renunciasse com a garantia de sustentar o seu mandato na Câmara Federal, como ocorreu nesta quinta (07).

Infelizmente mesmo com a tentativa das oposições na Casa, será praticamente impossível Cunha ser cassado, pelo menos se depender da tropa de choque do Planalto.

A estratégia é o presidente interino Temer trabalhar sigilosamente e longe da opinião pública, pela permanência de Cunha como deputado federal e abrir espaço para que o mesmo (Cunha) articule a eleição para a nova mesa diretora com pessoas da sua extrema confiança.

Temer ficaria “isolado” do processo, como já foi noticiado, e Eduardo Cunha jogaria ao seu modo, ou seja, da maneira em que todo o país sabe.

Segundo a fonte, em troca Temer acabaria com o problema do travamento da pauta urgentemente, para que suas proposituras fossem aprovadas rapidamente, e Cunha esqueceria toda e qualquer delação que pudesse prejudicar o seu governo que já passa por um momento difícil, e vive uma impopularidade nunca vista no Brasil.

Cunha se dedicará agora, à criticar duramente o PT, como também, a presidente afastada Dilma Rousseff, afinal, são alvos prediletos do presidente atual.

Cunha garantiu ao presidente Interino, que vai usar todo o seu poder de fogo que está sendo reestruturado, para desmontar o Partido dos Trabalhadores e com especialidade Dilma.

Click Política

Matéria do Jornalista Gil Silva

você pode gostar também Mais do autor

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.