FIM DA LAVA JATO: Delação de ex-presidente da OAS não deve ser renegociada, diz jornal

1

A Procuradoria Geral da República (PGR) não deve voltar atrás na decisão de barrar a delação premiada de Léo Pinheiro, ex-presidente da construra OAS. A suspensão aconteceu depois do vazamento de um techo do depoimento que estaria na colaboração. As informações são do blog de Matheus Leitão, do G1.

No techo vazado, o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Dias Toffoli teria sido citado. Nesta terça-feira (23), o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, negou a citação ao ministro do Supremo. “Esse pretenso anexo jamais ingressou em qualquer dependência do MP”, disse.

Segundo informações de bastidores, há pouca chance de que a delação volte a ser negociada no momento. Antes do escândalo, empresário tinha assinado um termo de confidencialidade, mas ainda não havia firmado o acordo formalmente. Agora, os anexos do termo de confidencialidade estão sendo devolvidos à defesa do empresário e o contato foi encerrado.

COMPARTILHE ESTA NOTÍCIA COM OS SEUS AMIGOS

você pode gostar também Mais do autor

1 comentário

  1. tania! Diz

    Q Léo fale sem delação, já vai morrer na cadeia, q vá com consciência limpa.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.