GOLPE ESCANCARADO: Ministro da AGU demitido por telefone diz que Temer queria que ele “blindasse” corruptos da Lava Jato

4

A primeira grande crise do governo Michel Temer, que envolveu o ex-ministro Romero Jucá ainda na interinidade, já havia deixado claro que o golpe parlamentar de 2016 tinha uma finalidade: conter o ímpeto da Operação Lava Jato para proteger a oligarquia política brasileira, de quem a operação perigosamente se aproximava. Gravado por Sergio Machado, Jucá defendia a derrubada de Dilma para “estancar essa sangra”.

Agora, a segunda grande crise de Temer, não mais na interinidade, comprova que foi exatamente esse o objetivo do golpe. Demitido por telefone, o ex-ministro da advocacia-geral da União, Fábio Medina Osório, disse que foi defenestrado porque o Palácio do Planalto tem interesse em proteger aliados corruptos – ou seja, trata-se, como disse Jucá, de “estancar essa sangria”.

“Fui demitido porque contrariei muitos interesses. O governo quer abafar a Lava Jato. Tem muito receio de até onde a Lava Jato pode chegar”, disse ele, na entrevista concedida a Thiago Bronzatto, Marcela Mattos e Hugo Marques.

Osório, que pretendia cobrar até R$ 23 bilhões das empreiteiras e dos agentes públicos envolvidos na Lava Jato, previu um final agourento para o governo Temer. “Se não houver compromisso com o combate à corrupção, esse governo vai derreter”, disse ele. Segundo Osório, o chefe da Casa Civil, Eliseu Padilha, foi o encarregado por Temer de providenciar sua demissão e conter suas investidas, que incomodavam aliados do PMDB e de partidos da base. “Qual é o problema de tentar ressarcir aos cofres públicos o dinheiro desviado?”, questiona Osório.

Depois desse novo escândalo, que revela que o Palácio do Planalto tentou obstruir investigações, aumenta a pressão sobre o procurador-geral Rodrigo Janot, que terá que provar mais uma vez se investiga a todos ou apenas o PT.

Recentemente, ele acusou a presidente Dilma Rousseff, o ex-presidente Lula e o ex-ministro José Eduardo Cardozo de tentar obstruir a Lava Jato com uma indicação de um ministro para o Superior Tribunal de Justiça. O que fará agora com a afirmação do ex-advogado da União, que acusa o governo de demiti-lo para proteger políticos aliados? Com a palavra, Janot.

você pode gostar também Mais do autor

4 Comentários

  1. Ronnie Marinho Diz

    Há há ha PETISTAS…! a população inteira está de olho em tudo que está sendo feito, estamos certos que a limpeza não terminou e nem fomos nós que colocamos Temer no poder, firam vcs que votaram e o apoiaram. Portanto não duvidamos das suas colocações, sabemos que é um.mal menor todavia a grande quadrilha está sendo desmontada, ou melhor foi desmontada e o golpe final vai ser com a prisão do maior corrupto Lula da Silva que o Brasil já viu.
    Estamos todos focados em RENOVAÇÃO para termos um Brasil melhor…! Em dois anos vamos mudar tudo….!

  2. Eunice Terezinha silva Roxa Diz

    Esse governo Temer está totalmente contaminado .

  3. Gilenio Camilo Diz

    Não é possível alguém bem informado se surpreender com essa notícia. Basta ver a composição do governo do sr Michel Temer. O primeiro escalão está todo tomado por indivíduos citados em envolvimento com corrupção,sem falar nos que foram afastados por pressão da mídia. O governo do sr Michel Temer é o espelho do seu partido,o PMDB que dispensa comentários. O sr Eliseu Padilha desde que ingressou no governo vem insinuando o fim da lava a jato;curiosamente ele é um dos citados na delação do sr Delcídio do Amaral o que talvez explica a sua preocupação. Fica o alerta para a sociedade. O caminho para as ruas não é tão distante.

    1. Eunice Terezinha silva Roxa Diz

      Verdade, esse governo Temer está totalmente contaminado !

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.