MANOBRAS CONTRA DILMA: Senadora denuncia bloqueio dos direitos de Dilma na Comissão de Impeachment; CONFIRA!

0

A Comissão Especial do Impeachment adota a pressa como prioridade nos trabalhos e cerceia o direito da presidente afastada Dilma Rousseff de se defender e provar que não cometeu crime de responsabilidade, afirmou a senadora Gleisi Hoffmann (PT-PR), em discurso nesta sexta-feira (10).

– A Comissão Especial do Impeachment passa a adotar o tempo como única preocupação, não a defesa, o conteúdo ou as provas. Quer terminar o mais rápido possível, porque isso é um desconforto para o Parlamento e para os que estão no governo – afirmou Gleisi.

Ela ressalvou o papel do presidente da comissão, senador Raimundo Lira (PMDB-PB), “que tem tentado dar um tratamento correto ao assunto”, mas afirmou que a maioria dos integrantes do colegiado “tem demonstrado muita pressa em encerrar o processo”.

Na opinião da senadora, o objetivo dos que apoiam o impeachment seria concluir o processo antes das Olimpíadas, a pedido do presidente interino Michel Temer.

– Sabem por quê? Porque os líderes internacionais não querem vir para as Olimpíadas, não reconhecem o governo ilegítimo de Michel Temer. Ele está desesperado em buscar legitimidade internacional – opinou.

Gleisi Hoffmann fez um apelo aos colegas senadores para que sejam observados os ritos necessários para assegurar o direito de defesa no processo de impeachment, ressaltando seu aspecto político e também jurídico.

– A Constituição prevê um processo legal, com fases delimitadas, que não está sendo respeitado no Senado da República. Apesar de o presidente da comissão, Raimundo Lira, se esforçar, a maioria que está lá não está deixando que o devido processo legal se dê para a defesa da presidenta e para legitimar qualquer afastamento dela – protestou.

Click Política com Agência Senado

você pode gostar também Mais do autor

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.