NÃO ACEITA DECISÃO DE FACHIN: Aécio ‘pira’, dá desculpa esfarrapada e pede para voltar ao Senado; SAIBA!

A defesa de Michel Temer entregou ao Supremo Tribunal Federal um pedido para ter acesso à gravação que a Procuradoria da República afirma ter contra o presidente. Ontem, o jornal O Globo revelou que Temer foi gravado pelo empresário Joesley, da JBS, dando aval à compra de silêncio de Eduardo Cunha.




Temer, que já é pressionado a renuncia sob ameaça de impeachment, pretende fazer um pronunciamento às 16h. Para isso, segundo o Estadão, gostaria de ter acesso ao aúdio da conversa com Joesley.

O presidente antecipou a aliados que sua fala foi retirada de contexto e que ele não estava falando de propina a Cunha, mas de uma “ajuda humanitária”. Na gravação, Joesley afirma que o pagamento a Cunha e Lúcio Funaro servia para evitar delação, ao que Temer teria respondido: “Tem que manter isso, viu?”




O Estadão informou que o subchefe de Assuntos Jurídicos da Casa Civil, Gustavo do Vale Rocha, é responsável por protocolar o pedido no STF.

Já a defesa de Aécio, feita pelo advogado José Eduardo Alckmin, afirmou que o parlamentar está “inconformado e surpreso” com as acusações de que teria pedido R$ 2 milhões a Joesley Batista para pagar sua defesa na Operação Lava Jato. A Polícia Federal sabe que o recurso, na verdade, foi enviado a uma empresa da família Perrella, em Minas Gerais.

Aécio disse que sua fala também foi tirada de contexto, pois o pedido de R$ 2 milhões teria sido, na verdade, uma oferta de venda de imóvel a Batista. O empresário da JBS teria negado a compra, mas aceitou entregar os recursos ao senador.

O advogado informou à Folha que pediria ao ministro Edson Fachin, relator da Lava Jato no STF, a “reconsideração das medidas cautelares” e do pedido de afastamento do mandato. Fachin já removeu Aécio do cargo, mas negou pedido de prisão da Lava Jato. Andrea Neves também foi presa, assim como o primo de Aécio que buscou a mala de dinheiro na JBS.

JORNAL GGN

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA