POSITIVO: “Fizemos o dever de casa e Goiás é o primeiro estado a sair da crise”, diz governador; VEJA!

1

O segundo semestre começou com Goiás apresentando novamente número positivos na economia, sendo campeão na geração de empregos no País e com uma nova agenda de investimentos em obras e benefícios. Diferente de outros estados, Goiás está com as finanças em situação confortável, os salários dos servidores são pagos conforme manda a lei e a venda da Celg, ainda neste semestre, vai gerar mais recursos ao caixa do Estado.

Para o governador Marconi Perillo (PSDB), o cenário atual é resultado do forte ajuste fiscal que começou a ser adotado ainda em 2014: corte de 10 mil cargos, redução de 16 para 10 no número de secretarias e diminuição das despesas. “Fizemos o dever de casa e Goiás terá condições de projetar um crescimento acima da média nacional. A liderança, o direcionamento nosso, as parcerias fizeram com que Goiás fosse o primeiro estado brasileiro a definitivamente sair da crise”.

Na semana passada, números do Ministério do Trabalho mostraram que Goiás foi o estado que mais gerou postos de trabalho no primeiro semestre deste ano, com 16 mil vagas, ficando na frente de Rio de Janeiro e São Paulo. O governo goiano tem como prioridade nesta área a atração de investimentos e indústrias. Desde o início de 2015, Marconi recebeu a confirmação da instalação de 33 novas empresas, sobretudo no setor industrial. São empresas das mais diversas áreas, com destaque para o setor de alimentos e bebidas. O maior investimento confirmado foi o da Heineken, que está aplicando R$ 650 milhões na construção e operação de unidade de produção em Itumbiara – a primeira inteiramente construída pela cervejaria holandesa.

No início deste ano, mais quatro empresas anunciaram investimentos da ordem de R$ 460 milhões, para instalação de unidades em Goianápolis, Itumbiara e Goianésia. Somadas, Adimax Indústria e Comércio de Alimentos Ltda, Zotue Motors do Brasil Ltda, Electro Motors do Brasil Ltda e a Can-Pack S/A devem gerar mais 2,2 mil empregos no Estado.

Com as contas sob maior controle, o governo voltou a investir em obras públicas, o que reaqueceu o setor privado. O Estado priorizou a construção do Credeq, a conclusão do Centro de Excelência, a retomada da duplicação da GO-080 (Goiânia a São Francisco de Goiás) e GO-070 (Itaberaí-cidade de Goiás), construção dos hospitais regionais de Uruaçu, Novo Gama, Santo Antônio do Descoberto e do Hospital do Servidor Público, além da recuperação de milhares de quilômetros de rodovias.

Os investimentos públicos em obras e serviços, especialmente em infraestrutura, são imprescindíveis ao crescimento econômico. Além de gerar empregos, o aporte de recursos em obras públicas movimenta toda a economia, graças à aquisição de matérias-primas, bens, insumos, consumo de água e energia, máquinas e equipamentos. Portanto, a retomada das obras pela gestão Marconi certamente está entre os fatores que impulsionaram a liderança de Goiás na geração de empregos no primeiro semestre.

você pode gostar também Mais do autor

1 comentário

  1. check my site Diz

    I simply want to tell you that I’m all new to blogging and site-building and honestly liked your website. Almost certainly I’m likely to bookmark your site . You definitely have good stories. With thanks for sharing your web page.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.