SEM FIM? Aliados de Aécio e integrantes do PSDB de Goiás foram presos pela PF por desvio de milhões;

0

A Polícia Federal prendeu, nesta quarta-feira (24), o presidente do PSDB de Goiás, Afreni Gonçalves, e o ex-secretário da Fazenda do estado e atual presidente da da Companhia de Saneamento de Goiás (Saneago), José Taveira Rocha. A companhia de saneamento goiana é de responsabilidade do governo estadual, que é comandado por Marconi Perillo, também do PSDB.

As ações fazem parte da operação Decantação, que busca desarticular uma quadrilha responsável pelo desvio de R$ 4,5 milhões em recursos federais por meio da Saneago.

Segundo as investigações, as verbas que vinham do Programa de Aceleração do Crescimento ( PAC), de financiamentos do BNDES e da Caixa Econômica Federal foram desviados para o pagamento de propinas e dívidas de campanhas do PSDB, em especial de Perillo, quando concorreu ao governo de Goiás em 2014.

Segundo Mário Lúcio Avelar, procurador da República, há indícios de que recursos públicos foram transferidos para o diretório do PSDB, para pagar dívida da campanha eleitoral e parte era distribuída entre agentes públicos e empreiteiras.

Entre R$ 400 mil e R$ 500 mil supostamente repassados à campanha de Perillo, teriam sido destinados a uma empresa de publicidade. A operação ainda aponta que Afreni teria negociado R$ 1 milhão em doação para o PSDB Goiás com a JC Gontijo – investigada no Mensalão do DEM. A JC Gontijo tem contratos com a Saneago.

De acordo com os investigadores, a ação evitou um prejuízo de quase R$ 7 milhões. A PF sustenta que uma das estratégias da organização criminosa era o favorecimento da consultoria contratada pela Saneago a empresas que participavam do esquema e que depois eram responsáveis por doações eleitorais.

No total, a operação cumpre 120 mandados judiciais em Goiânia, Aparecida de Goiânia, Formosa e Itumbiara, em Goiás, além de São Paulo (SP) e Florianópolis (SC). Cerca de 300 policiais participam dos trabalhos, com apoio do Ministério Público Federal e do Ministério da Transparência, Fiscalização e Controle.

São 11 mandados de prisão preventiva, quatro de prisão temporária, 21 de condução coercitiva e 67 de busca e apreensão na sede de empresas envolvidas e do PSDB em Goiânia, além de residências e outros endereços relacionados.

Também foi determinado o afastamento da função pública de oito servidores e a proibição de comunicação entre nove envolvidos. Os envolvidos responderão por peculato, corrupção passiva, corrupção ativa, organização criminosa e fraudes em processos licitatórios.

você pode gostar também Mais do autor

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.