SURPRESA: Senador Capiberibe optou pelo NÃO ao impeachment e deixa parlamentares da base de Dilma animados;

0

Um momento de tensão e surpresa abalou, esta tarde (9), o plenário do Senado Federal, na sessão que vota a pronúncia do impeachment, com a declaração do voto e discurso proferidos pelo senador João Capiberibe (PSB-AP). O parlamentar tinha votado pela admissibilidade do impeachment de Dilma em maio passado. Mas ao mesmo tempo, tem um passado de história na luta contra a ditadura militar e foi preso político na mesma época que a presidenta afastada Dilma Rousseff, motivo pelo qual sua postura suscitava dúvidas. Num discurso duro, ele disse que muda seu voto e é contra o impeachment, “pela democracia”. Afirmou, ainda, que “o impeachment é nada mais que uma encenação grotesca para cobrir a nossa falta de cultura democrática”.
O senador já tinha dito, no final do mês passado, que sua posição poderia ser outra (em relação ao voto que deu em maio passado). E nas últimas semanas, vinha se mantendo recolhido e evitando dar declarações à imprensa – chegou a ser procurado por várias vezes pela reportagem da RBA, com quem costuma falar e dar entrevistas.
Sua declaração de voto contrário ao afastamento foi comemorada de forma discreta pelos parlamentares que apoiam a presidenta no plenário – primeiro, para não quebrarem o decoro da sessão. Em segundo lugar, para não vibrarem antes da hora. Mas o certo é que foi tido como fator positivo para a votação em favor de Dilma Rousseff.
Espera-se, a partir de agora, que venha a tomar posição semelhante a ele, também o senador José Carlos Valadares (PSB-SE), por integrar o mesmo partido e por ser outro que demonstrou estar em dúvida em relação ao impeachment. A posição oficial do PSB continua sendo pelo afastamento da presidenta, Um dos principais capitães dessa corrente é o ex-ministro da Integração de Dilma Rousseff, senador Fernando Bezerra Coelho (PE).
Outra dúvida aguardada pelos parlamentares dos dois lados – pró e contra o impeachment – e que pode mudar a condução dos votos na sessão, diz respeito à posição do senador Otto Alencar (PSD-BA). Ele também demonstrou indecisão nos últimos dias quanto à forma como irá votar na sessão, e vem sendo cortejado como uma noiva, tanto por integrantes do seu partido, o PSD, e do PMDB, para votar pelo impeachment.
Alencar também foi convidado para sentar e participar de reuniões com representantes da bancada do seu estado, a Bahia, para votar de forma contrária ao afastamento da presidenta e, segundo integrantes do PT, deu um sinal de que tem possibilidade de mudar seu voto ontem, depois de ter participado de solenidade ao lado do presidente interino Michel Temer e não ter manifestado qualquer declaração antecipada a respeito.

você pode gostar também Mais do autor

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.