‘Foi um ato de terror e ódio’, diz Obama sobre ataque a boate gay

0

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, fez um comunicado sobre o tiroteio que deixou 50 mortos na boate gay de Orlando na madrugada deste domingo (12). “Sabemos o suficiente para afirmar que este foi um ato de terror e de ódio”, disse.

Ele disse que conversou com o prefeito de Orlando e lhe ofereceu condolências e ajuda. “Este é um dia triste para a comunidade LGBT”, afirmou. “O local que foi atacado era mais do que um nightclube, era um local de solidariedade e empoderamento.”

“Nenhum ato de terror pode mudar o que somos”, disse o presidente. “Diante do ódio e da violência, nós vamos amar uns aos outros. Não vamos nos render ao medo e nos virarmos uns contra os outros”, disse.

O ataque ocorreu por volta das 2h (3h no horário de Brasília) na boate Pulse (veja a crononologia ao fim da reportagem). Quando a polícia chegou ao local, houve troca de tiros do lado de fora e o atirador voltou para dentro e fez reféns por algumas horas. Além das 50 mortes, 53 pessoas ficaram feridas.

O suspeito portava um fuzil AR-15 e uma arma de pequeno porte, além de um “dispositivo” não identificado. Ele morreu durante a troca de tiros com a polícia.

Seu nome é Omar Mateen, de 29 anos, um cidadão norte-americano muçulmano de família afegã.

As autoridades investigam as motivações do atirador, se ele tinha vínculos com algum grupo ou organização, e se seu ataque foi inspirado pelo terrorismo islamita.

Familiares do atirador entrevistados pela imprensa dizem que Mateen não era muito religioso, mas era homofóbico e batia, com frequência, na ex-mulher. Em choque, o pai de Mateen, Mir Seddique, disse que seu filho estava furioso, após ter visto recentemente dois homossexuais se beijando em uma rua de Miami.
Uma conta no Twitter de um grupo afiliado ao EI postou uma foto que seria de Mateen, mas a organização terrorista não reivindicou

oficialmente o ataque.

Ataque mais letal dos EUA

O número de mortos faz do ataque o mais fatal decorrente de tiroteio em massa na história recente dos EUA. O último com proporções comparáveis foi o massacre de 2007 na universidade Virginia Tech, que deixou 32 mortos, segundo a Reuters.
Obama disse que hoje é um dia especialmente devastador para a comunidade lésbica, gay, bissexual e transgênero. Ele lembrou que um ataque contra qualquer americano é um ataque contra todos, independentemente da raça, religião, etnia ou orientação sexual.

“O atirador mirou uma boate onde as pessoas vão com os amigos para dançar e cantar – para viver”, disse o presidente americano. “O lugar onde foram atacados é mais que uma boate. É um espaço de solidariedade e empoderamento, onde as pessoas vão juntas para falar o que pensam e defender seus direitos civis.”

O presidente norte-americano disse que o FBI investiga o tiroteio como terrorismo, mas reforçou que as motivações do atirador ainda não estão claras.

você pode gostar também Mais do autor

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.