SE DEU MAL DE NOVO: Danilo Gentilli perde outra ação na justiça e terá de pagar 80 mil de indenização; CONFIRA AQUI!

2

O Tribunal de Justiça de Pernambuco (TJPE) decidiu, na quarta-feira (12), reduzir de R$ 200 mil para R$ 80 mil o valor da indenização por danos morais que o apresentador Danilo Gentilli, o comediante Marcelo Mansfield e a TV Bandeirantes devem pagar à técnica em enfermagem Michele Maximino, 35 anos.

A sentença foi proferida com base no relatório do desembargador Jovaldo Nunes.

Em outubro de 2013, Danilo chamou a pernambucana de “vaca” e a comparou com o ator pornô Kid Bengala no programa “Agora é Tarde”.

“Em termos de doação de leite, ela está quase alcançando o Kid Bengala”, disse Gentili na ocasião sobre ela, que já doou mais de 400 litros de leite materno.

você pode gostar também Mais do autor

2 Comentários

  1. CLEIDE Diz

    É NISSO QUE DÁ,COLOCAR PARA MINISTRAR UMA ÁREA QUE NÃO CONHECE. MENDOCINHA NÃO É MÉDICO. CADA UM NO SEU QUADRADO.

  2. jonas vaquer Diz

    LEVE ELE PARA FAZER TOQUE RETAL !!! MINISTRO TRESLOUCADO? MINISTRO DA SAÚDE DIZ QUE “MÉDICO TEM QUE PARAR DE FINGIR QUE TRABALHA”.

    O ministro da Saúde, Ricardo Barros, afirmou disse que é chegada a hora do governo “parar de fingir que paga os médicos, e dos médicos pararem de fingir que trabalham”. A afirmação do ministro, feita nesta quinta-feira (14), veio na esteira do anúncio do programa que pretende instalar equipamentos de biometria em todas as unidades de saúde da rede pública visando monitorar a jornada de trabalho dos profissionais. Mecanismos para aferir a produtividade, porém, ainda estão sendo discutidas pelos técnicos da pasta. “Um médico que tem quatro horas de jornada, por exemplo. Ele pode dedicar cinco minutos para cada paciente e ir embora. Temos de ter uma média de desempenho”, disse Barros. A Organização Mundial de Saúde (OMS) recomenda que cada consulta tenha, no mínimo, 15 minutos de duração. A Federação Médica Brasileira reagiu enfurecida às declarações feitas pelo ministro e classificou a afirmação como fruto do “desespero de tentar salvar um governo afundado em denúncias de corrupção”. O Conselho Federal de Medicina (CFM) disse que as declarações de Barros foram pejorativas, inadequadas e refletem a incapacidade do governo em responder às necessidades da população.
    https://www.brasil247.com/images/cache/1000×357/crop_0_78_1280_535/images%7Ccms-image-000523725.jpg

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.