Procuradora que tentou ‘humilhar’ Lula em depoimento é acusada de fazer ‘política’ no Facebook

0

O colunista de Política da Rede TV, Reinaldo Azevedo, comenta a postura de uma das procuradoras do Ministério Público Federal, Cristina Vieira, durante o depoimento do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva ao juiz federal Sérgio Moro, na tarde desta quarta-feira (13), em Curitiba. Num dado momento, a procuradora reclama do tratamento recebido por Lula




Lula – “Não, eu não tenho, querida, eu não tenho.”

Groba Vieira – “Também pediria que o senhor ex-presidente se referisse ao membro do Ministério Público pelo tratamento protocolar devido.”

Lula – “É, como é que seria? Doutora?”




Moro – “Sei que, evidentemente, o senhor ex-presidente não tem nenhuma intenção negativa em utilizar esse termo “querida”, mas peço que não utilize, tá? Pode chamar de “doutora”, “senhora procuradora”, perfeito?”

Continua depois da Publicidade

“Todos sabem que Lula tem o hábito de chamar interlocutores de “meu querido”, “minha querida”. Dois dedos de prosa, e ele já opta pela informalidade. Ok. Se a doutora, douta procuradora, ilustre representante do Parquet, Senhora dos Mundos, não queria, então não. Mostrava-se, assim, uma formalista empedernida”, escreve Reinaldo.

O colunista da Rede TV diz que se a procuradora reclama da informalidade de Lula e quer ser mesmo imparcial, não deveria ter feito ativismo político. Em 2016, junto com Carlos Fernando dos Santos e Deltan Dallagnol, Cristina gravou um vídeo incitando a população contra o Senado quando os parlamentares votavam um projeto contra o abuso de autoridade do Judiciário.

CLICK POLÍTICA com informações de brasil247

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.