NA ROCINHA: Rio continua vivendo momentos de terror; SAIBA!

0

Em novo dia de intenso tiroteio na Rocinha, o sexto consecutivo, a situação é instável em toda a região desde o início da manhã desta sexta-feira, com prejuízo para os mais de 100 mil moradores da favela e para quem vive nos bairros do entorno. Escolas públicas e particulares não abriram hoje, assim como a Pontifícia Universidade Católica (PUC-Rio), na Gávea, que liberou seus 20 mil alunos e todos os funcionários. A Secretaria municipal de Educação informou que cinco escolas, duas creches e um Espaço de Desenvolvimento Infantil (EDI) estão sem atividades ao redor da Rocinha, por causa da violência na comunidade. As unidades atendem a 2.489.

José Carlos Portugal, diretor do sindicato das escolas particulares no ensino básico do município do Rio, disse que três escolas privadas estão fechadas por causa dos tiroteios: a Escola Teresiano, a Escola Americana e a Escola Parque, na Gávea. Ele fez um desabafo.

— Com esses tiroteios na Rocinha e no Santa Marta, vivemos uma situação de pânico. É lamentável termos chegado a esse ponto por causa de incompetência e corrupção do estado. Isso não aconteceu de ontem para hoje e seria injusto culpar apenas a polícia. O ex-secretário de segurança José Mariano Beltrame já havia dito que não adianta colocar polícia em comunidades se o estado não entra com todas as políticas necessárias — desabafou Portugal, diretor de uma entidade que representa cerca de 1800 escolas no Rio de Janeiro e aproximadamente 500 mil alunos.

Continua depois da Publicidade

Em nota, a Escola Americana informou que “encontra-se fechada como medida de precaução, face às questões de segurança na região. O campus permanecerá fechado também durante o final de semana. A escola agradece pelo apoio dos pais ao seu compromisso de zelar pela segurança da comunidade escolar”. A Escola Parque não quis se pronunciar. Também houve tensão em Botafogo, nas escolas Corcovado e Britânica, por causa de tiroteios na favela Santa Marta.

A mãe de uma criança que estuda na Britânica, na Rua Real Grandeza, disse que “está tendo tiroteio pesado agora no Santa Marta. As crianças da Britânica estão dentro das salas. Segundo a secretaria, não vão nem ao refeitório almoçar. Vão permanecer em sala de aula”. Na Corcovado, a movimentação de alunos era pequena na saída do turno da manhã. Os alunos foram tirados da área externa e muitos pais foram buscar seus filhos mais cedo.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.