UFSC demite corregedor que foi pivô do suicídio do reitor Cancellier

0

O reitor em exercício da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), Ubaldo Cesar Balthazar, afastou definitivamente o corregedor-geral Rodolfo Hickel Prado, de 57 anos.

Responsável pela denúncia que levou à Operação Ouvidos Moucos, da Polícia Federal, em setembro, Hickel retornou à instituição nesta quarta-feira (7) após um período de três meses afastado alegando problemas de saúde. A exoneração será publicada nesta quinta-feira no Diário Oficial da União, de acordo com publicação do jornal O Globo.

O reitor chegou a enviar um ofício para a Controladoria-Geral da União (CGU) na segunda-feira manifestando o temor de que a volta de Hickel ao cargo levasse instabilidade à universidade. No documento, Balthazar manifestou a intenção de dispensar o corregedor, mas pediu um parecer da CGU, que não se pronunciou.

A decisão definitiva de exonerá-lo foi tomada após a publicação da entrevista do corregedor ao Globo, em que Hickel afirma seguir no “intuito de apurar todo e qualquer ilícito. Doa a quem doer.” Ele considerou uma “barbaridade” que o grupo do ex-reitor Luiz Carlos Cancellier de Olivo continue na administração da UFSC e nas fundações onde, segundo ele, estaria “todo o esquema.”

Cancellier chegou a ser preso na Operação Ouvidos Moucos a partir da denúncia de Hickel; dezenove dias após ser levado pela PF, ele cometeu suicídio em um shopping de Santa Catarina.

CLICK POLÍTICA com informações de brasil247

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.