CONVERSA AFIADA: Temer ameaçou Odebrecht: ou paga ou faço escândalo

0

DO CONVERSA AFIADA com informações da Folha:

Laudo da Polícia Federal, obtido pela Folha, indica que o advogado José Yunes, amigo do presidente Michel Temer, recebeu R$ 1 milhão da Odebrecht em duas parcelas de R$ 500 mil.

O segundo repasse, de acordo com análise dos investigadores, só teria ocorrido mediante pressões sobre a empreiteira e até a ameaça de um escândalo em Brasília.

O laudo foi elaborado a partir de novos arquivos entregues pela Odebrecht à Lava Jato, com registros dos sistemas Drousys e My Web Day, usados para gerir o pagamento de propinas a políticos.

A perícia da PF sobre essas mídias foi concluída em abril deste ano e integra o inquérito que apura se Temer e aliados negociaram, em reunião no Palácio do Jaburu, R$ 10 milhões em doações ilícitas de campanha para integrantes de seu partido, o MDB, parte delas usando o amigo e ex-assessor.

Os peritos recuperaram planilhas com a programação do suposto pagamento a Yunes, bem como dados da liquidação desse repasse. Além disso, foi encontrado um email no qual integrantes do esquema de corrupção da Odebrecht relatam pressão para que recursos fossem pagos.

Para os investigadores, os novos dados do inquérito corroboram a versão do MPF (Ministério Público Federal), que denunciou Yunes como arrecadador contumaz de propinas para Temer. Como a Folharevelou no domingo, em depoimento prestado à PF, o policial militar Abel de Queiroz –que trabalhava como encarregado da Transnacional, firma de transporte de valores contratada pela Odebrecht– disse ter ido duas vezes ao escritório do advogado para fazer entregas de dinheiro.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.