PRAZO ESTIPULADO: Fachin dá 3 dias para Dodge citar investigados em caso sobre J&F e MDB; CONFIRA!

0

O ministro Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal (STF), determinou nesta quinta-feira (17= prazo de três dias para que a procuradora-geral da República, Rquel Dodge, explique quem será investigado no inquérito que pede investigação são supostos repasses de R$ 40 milhões de J&F a políticos do MDB na campanha eleitoral de 2014. As informações são do G1.

No despacho, o ministro afirma que o STF registrou 10 nomes nos autos, porém, a procuradoria não esclarece quais seriam as condutas suspeitas de todos os envolvidos.

“No pedido formulado às fls. 140-152, a Procuradoria-Geral da República não individualiza o rol de investigados, sugerindo à fl. 149 que há indícios suficientes para justificar a abertura de investigação no âmbito desta Corte em relação aos parlamentares e demais envolvidos. Todavia, os nomes referidos pelos colaboradores não convergem aos mesmos parlamentares, tampouco há identidade entre àqueles referidos na tabela de fls. 143-146 com as pessoas cuja oitiva se pleiteia na fase investigativa”, alega Fachin.

O ministro pediu que Dodge “se manifeste, no prazo três dias, sobre quem deve efetivamente figurar como investigado nestes autos”.

De acord ocom a PGR, as suspeitas são baseadas nas delações premiadas de Sérgio Machado, ex-senador pelo MDB e ex-presidente da Transpetro, e de Ricardo Saud, ex-executivo da J&F.

Os depoimentos dos delatores citam os seguintes nomes omo beneficiários de doações: os senadores Renan Calheiros (AL), Jader Barbalho (PA), Romero Jucá (RR), Eunício Oliveira (CE), Vital do Rêgo (PB), hoje ministro do Tribunal de Contas da União, Eduardo Braga (AM), Edison Lobão (MA), Valdir Raupp (RO) e Roberto Requião (PR), “dentre outros”.

Portal Click Política

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.