Tacla Duran classifica de “mordaça” o fato da justiça não querer que o mesmo participe da oitiva do ex-presidente Lula; SAIBA!

0

O advogado Tacla Duran, que prestou esclarecimentos durante um longo tempo na Comissão de Direitos Humanos, da Câmara dos deputados, zombou da resposta dada pela Procuradora Geral da República Raquel Dodge, sobre esclarecimentos com relação à adulteração nas planilhas da Odebrecht e sistema de banco fraudado.




Depois da denúncia feita por parlamentares, a PGR após muito tempo, enviou um comunicado aos interessados desclassificando a documentação e afirmando que a mesma não tinha consistência e fez uma ressalva, na qual disse que não existia comprovação de extratos, comprovantes ou relatórios bancários.
Ao tomar conhecimento na audiência da manhã desta terça-feira (5), através de parlamentares sobre a nova justificativa de Dodge, Duran refutou reafirmando que são documentos autênticos e recomendou a PGR, que procurasse saber do então procurador Geral da República Rodrigo Janot, que afirmou por diversas vezes que a documentação tinha autenticidade, inclusive as relacionadas a transações bancárias.




Em dado momento provocado, quais os motivos que levam a justiça brasileira a não querer lhe ouvir e o Dr Duran foi direto: “Eles estão trabalhando com a lei da mordaça e sabem que com um depoimento meu, a Operação iria implodir de uma vez por todas,” alfinetou.
Portal Click Política.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.