Sem voto, Alckmin e Meirelles se enrolam dentro do golpe; CONFIRA!

0

A procura agônica por um discurso que empolgue e tire do nanismo os presidenciáveis dos dois maiores partidos do golpe (PSDB e MDB), tumultua a estrutura de alianças e recursos para a campanha de 2018. Enquanto Henrique Meirelles tenta se desvencilhar de Michel Temer, Geraldo Alckmin fala em sacrifício pessoal.

Temer, mais uma vez, ficou contrariado com a repulsa que Meirelles faz questão de demarcar com relação a ele, o que obrigou o presidenciável do MDB a ligar duas vezes para Temer para tentar se exlicar. Meirelles havia dito ao jornal O Estado de S. Paulo que sua candidatura não representa a gestão Temer

“Integrantes do MDB, porém, lembram ao ex-ministro da Fazenda que ele ainda é pré-candidato e que para mudar de status precisa ser aprovado em convenção do partido. E é o grupo de Temer, concluem esses emedebistas, que vence as disputas internas há quase 20 anos.

No PSDB, Alckmin tem sido obrigado a tentar aplacar, além da própria ansiedade, a de seus aliados. Repete a eles que uma guinada nas pesquisas só virá com a propaganda eleitoral e que o partido precisa entender que a Lava Jato causou avarias sérias no PT, mas também na imagem dos tucanos.

CLICK POLÍTICA com informações de brasil247

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.