Frei Sérgio relata encontro com Lula: “em nenhum momento ouvi uma palavra de desânimo”; SAIBA!

0

“Lula me disse que não cultiva ódio e que quer apenas cultivar o amor pelo Brasil e pelo povo brasileiro, embora considere uma injustiça o que está passando”, relatou o frei Sérgio Antônio Görgen, religioso da ordem franciscana, que nesta segunda-feira (18) visitou o ex-presidente, encarcerado desde 7 de abril na sede da Polícia Federal em Curitiba. Görgen disse que eles conversaram sobre o país e sobre religiosidade, e que entregou presentes e mensagens a Lula.

O frei disse que o ex-presidente encara seu tempo de prisão como uma provação. “Ele está vendo como uma prova de amor ao povo, de acordo com minha interpretação. A provação é o teste dos limites. Temos que também fazer nossa parte para que ele faça a dele. E ele será, talvez, maior presidente do que ele já foi (…) Na minha opinião, quem está sendo provado é o povo. Ele é um homem de fé e alimenta a esperança de que vai sair daqui e ajudar o povo a recuperar sua dignidade, o petróleo e o emprego”, afirmou.

Segundo o relato, Lula disse também que “não suporta saber que o povo está voltando a passar fome”, e que está na hora de reagir. De acordo com o frei, o ex-presidente afirmou que “vai fazer muito mais” se for eleito. “Falou em reforma agrária, recuperação de empregos, indústria, petróleo, Eletrobras. Ele está com o sangue bom, olhando para o futuro. Espiritualmente muito forte e psicologicamente muito bem. Em nenhum momento ouvi nenhuma palavra de desânimo ou reclamação. Ao contrário, ele está pra cima”, acrescentou o religioso.

Continua depois da Publicidade

Görgen disse que ficou impressionado com o ritmo de leitura do ex-presidente. “Ele está terminando de ler um livro de 800 páginas que conta histórias de revolucionários brasileiros das décadas de 1940, 1950 e 1960. Quem acha que ele não lê, quero saber quem que diz isso e que já leu um livro deste tamanho. Fica o desafio bonito para quem duvida.”

“Vamos continuar mobilizando o povo, esclarecendo e informando”, disse ainda o frei. “Vamos nos preparar para um grande movimento popular para que Lula saia dessa masmorra e vá para o Planalto sem perder suas raízes. É uma hora de posições claras, de uma radicalidade sem sectarismo. Precisamos dizer o Brasil que queremos, com mais igualdade, respeito e dignidade”, completou.

Görgen contou que entregou “uma sacola de presentes” a Lula. “Cartas de crianças, algumas que foram com as mães na minha casa. Elas mandaram desenhos. Artistas mandaram CDs, DVDs, livros e cartas. Mais de 100 mensagens que recebi em menos de 24 horas. Eu trouxe recordações também para ele. Uma imagem de Nossa Senhora Aparecida, livros de contos, uma biografia de São Francisco de Assis (…) No final, ele me convidou para rezarmos um Pai-nosso. Nos abraçamos e disse que se fosse entregar todos os abraços que pediram, teria de abraçá-lo o tempo todo.”

portal Click Política com a RBA.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.