Aliança do DEM está mais próxima de Ciro do que de Alckmin, diz Maia

0

(Reuters) – O presidente da Câmara dos deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), disse nesta quinta-feira que, apesar da maior afinidade histórica com o PSDB, hoje seu partido estaria mais próximo de fechar um acordo nacional com o PDT, em razão das alianças e palanques regionais.

Maia disse que se desistir da candidatura à Presidência da República tentará se reeleger como deputado federal para, posteriormente, buscar novamente o comando da Câmara dos Deputados.

“Se estou conversando com outros partidos, essa possibilidade (de não ser candidato presidencial) existe”, disse Maia a jornalistas, ao explicar as chances do DEM se aliar ao pré-candidato do PSDB, Geraldo Alckmin, ou do PDT, Ciro Gomes.

“Com frieza, nosso histórico é mais com Geraldo do que com Ciro, mas nos palanques tem mais viabilidade eleitoral com Ciro do que com Geraldo”, disse.

Ele destacou a existência de divergências regionais que dificultam a parceria com os tucanos. Com o PDT, por outro lado, não haveria tantos obstáculos nas candidaturas estaduais e o caminho para uma aliança estaria mais livre. “Temos mais afinidade com Ciro nos palanques regionais.”

Para Maia, o DEM precisa se fortalecer nos Estados já pensando nas eleições de 2022.

O presidente da Câmara, que é filho do ex-prefeito do Rio de Janeiro e vereador Cesar Maia, chegou a traçar uma semelhança entre Ciro e seu pai.

“O Ciro faz um pouquinho o que o ex-prefeito Cesar Maia fazia. Vocalizava para direita e governava para esquerda, com uma agenda social forte”, disse o deputado.

“Ele faz um discurso inteligente e quando fala de equilíbrio fiscal, ele fala o que a gente fala… muitos diretórios regionais veem (Ciro) como boa alternativa”, acrescentou.

Rodrigo Maia afirmou que há premissas básicas para o DEM apoiar um candidato no pleito presidencial deste ano. Esses pré-requisitos incluem a defesa da redução de gastos, controle das despesas, reforma da Previdência com fixação de idade mínima para aposentadoria nos serviços públicos e privados.

O deputado defendeu ainda que o atual interventor na área de segurança do Rio, general Braga Netto, seja mantido pelo futuro governador do Rio em 2019 apenas como secretário de Segurança, para fazer a transição do trabalho iniciado esse ano. O DEM tem o ex-prefeito Eduardo Paes como pré-candidato ao governo do Rio.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.