Jornalista da Record comemora derrota do Brasil, “Chega de Globo! Chega de selecinha! Chega de Galvinho!”

0

DO SITE DE PAULO HENQUIQUE AMORIM, CONVERSA AFIADA:

A derrota por 2 a 1 para a Bélgica livra o Brasil de uma insuportável tirania.

A avassaladora hegemonia da Globo Overseas, empresa holandesa, que ali suborna agentes da FIFA para ser a única a transmitir os jogos da seleção.

O Brasil é o único país “democrático” em que uma única emissora privada de televisão tem o monopólio para exibir o time que representa a nação.

“A Bélgica veio para ganhar o jogo”, disse o Galvinho que chega melancolicamente ao fim.

Ser obrigado a ouvir tal pérola… a Bélgica veio para vencer…

A Globo não voltará a ter essa hegemonia nos jogos da Copa do Mundo.

O Galvinho vai produzir vinho.

E o Neymar não será o melhor jogador do mundo.

Está na hora de volta à mediocridade reinante.

À usurpação dos bens públicos, enquanto a sociedade se enganava com essa seleção fake.

Uma seleção medíocre.

De Tite, Fagner, Paulinho, Renato Augusto… já se sabia que não passava da linha do Equador.

A seleção do Corinthians e dos herois do Brasileirão da Globo!

Ufa!

O espectador da tevê aberta se livra das ameaças verbais do Ronaldo Fenômeno e da incontrolável mão esquerda do Galvinho.

Agora, o brasileiro pode assistir à Copa em paz.

Em tempo: o Conversa Afiada saúda com entusiasmo um dos “analistas” da equipe da Globo que acha o De Bruyne um abestalhado! Arrogantes e minúsculos.

Em tempo²: agora vamos ver só no PSG se o Neymar é um cretino ou um dramaturgo, como diz o jornal inglês num campeonato da segunda linha da Europa.

Em tempo³: o Fenômeno dá a impressão de que o Fernandinho deveria ter decepado o De Bruyne antes de fazer o maravilhoso segundo gol…

PHA

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.