CÁRMEN LÚCIA TEM MEDO DA GLOBO: CNJ vai avaliar procedimentos contra Moro apenas na gestão de Toffoli

0

Sergio Moro responde a dois procedimentos no Conselho Nacional de Justiça. Tanto um quanto o outro devem ser avaliados apenas em setembro, quando o ministro do Supremo Tribunal Federal, Antônio Dias Toffoli, assume a presidência do colegiado.

O primeiro deles trata da quebra do sigilo de conversa, em 2016, entre a então presidente Dilma Rousseff e o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Os dois conversavam sobre os trâmites da nomeação de Lula para a Casa Civil. O áudio do telefonema, que foi divulgado pelo Jornal Nacional, da Rede Globo, foi considerado determinante no processo de impeachment de Dilma.

O caso está na pauta do colegiado, mas nunca foi chamado para deliberação pela atual presidente, Cármen Lúcia.

O segundo caso, deste último fim de semana, trata da guerra de liminares sobre um habeas corpus para Lula. O CNJ quer entender as razões para Moro ter interrompido as férias para despachar. O Conselho quer saber ainda se o juiz de Primeira Instância quebrou a hierarquia ao desqualificar a decisão de Rogerio Favreto e se, ao admitir ter acionado outros juízes do TRF-4, indicou ligação excessiva com o caso.

Como o ex-presidente está no centro dos episódios, membros do CNJ dizem que nada os impede de unir as ações.

Com informações do Painel, da Folha

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.