DESISTÊNCIA EM MASSA: Com Lula fortalecido, sucessão já tem dez ex-candidatos

0

Por William De Lucca – Com a desistência de Flávio Rocha (PRB), dono do Grupo Guararapes, de disputar a presidência da República, já são nove os ex-candidatos nas eleições deste ano, todos do centro e da direita. Em nota publicada nesta sexta-feira (13), Flávio agradeceu ao partido, mas disse que o PRB está livre para negociar alianças com outros partidos.

Entre os nomes governistas, o presidente Michel Temer (MDB), com a maior rejeição já registrada por um presidente, desistiu da candidatura lançando o ex-ministro Henrique Meireiles (MDB) como sucessor de seu governo. Rodrigo Maia (DEM), presidente da Câmara dos Deputados, já deu indícios que não disputará o pleito e sua candidatura é vista como tampão por não ter decolado.

Os outsiders, candidatos que nunca disputaram cargos eletivos, também tiveram suas baixas. O apresentador Luciano Huck foi cortejado por PPS e DEM para disputar a presidência, enquanto o ex-ministro do STF Joaquim Barbosa chegou a se filiar ao PSB, mas abriu mão da candidatura.

Continua depois da Publicidade

Nos tucanos, são duas desistências. O ex-prefeito de São Paulo, João Dória (PSDB) desistiu de ser candidato após tentar tomar o lugar de seu padrinho político na disputa Geraldo Alckmin (PSDB). Após ser enquadrado pelo líder tucano, Doria resolveu ser candidato ao governo de São Paulo. O outro desistente é Arthur Virgílio, prefeito de Manaus, que chegou a rivalizar com Alckmin sobre a vaga tucana.

Os nanicos também tiveram seus desistentes. O médico e apresentador Dr. Rey (PSC) manteve uma pré-candidatura por meses, antes de desistir oficialmente da disputa. Já a jornalista Valéria Monteiro (PMN) disse que continua candidata, apesar de seu partido afirmar que fará alianças e apoiará outras candidaturas. Ela, entretanto, disse que lutará por prévias na legenda e conseguiu manter sua pré-candidatura com uma liminar judicial.

Na esquerda, a maioria das candidaturas segue firme. O único nome que desistiu até agora foi o do deputado Chico Alencar (PSOL), cotado para disputar a presidência, mas que decidiu ser candidato ao Senado.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.