SEM MORAL PRA NADA: Procuradora da Lava Jato que atacou Ciro Gomes já foi condenada por calúnia

0

A vida é dura.

Integrante da “força-tarefa” da Lava Jato em São Paulo, a procuradora Janice Ascari detonou Ciro Gomes no Twitter.

Para Janice, as declarações de Ciro sobre a promotora Mariana Bernardes Andrade, que abriu inquérito contra ele, são “desprezíveis e mostram o seu pior lado”.

Janice sabe do que está falando.

Em 2015, foi condenada à prisão por caluniar um juiz. O site Jota deu matéria:

Um comentário postado em um blog na internet foi o assunto mais discutido na Corte Especial do Superior Tribunal de Justiça (STJ) esta semana. Após um julgamento que durou mais de três horas, a maioria dos magistrados condenou a procuradora Janice Agostinho Ascari pelo crime de calúnia, por ter escrito, em 2009, que o juiz Ali Mazloum teria beneficiado réus durante a Operação Satiagraha, além de vazar informações que estavam sob segredo de justiça.

O tema foi debatido na Ação Penal nº 613, julgada no dia 20 pela Corte Especial – instância que reúne os 15 ministros mais antigos do tribunal. Após analisar o caso, a maioria dos magistrados seguiu o voto do relator, ministro Og Fernandes, que condenou Janice a oito meses de prisão. A pena poderá ser substituída por prestação de serviços á comunidade.

O processo judicial teve origem após um comentário de Janice no blog no jornalista Luis Nassif. À época o jornalista escreveu uma matéria sobre a atuação de Mazloum em um processo em tramitação na 7ª Vara Federal de São Paulo. A ação tratava do suposto vazamento de informações durante a Operação Satiagraha, que apurava desvio de verbas públicas, corrupção e lavagem de dinheiro envolvendo banqueiros.

Janice Ascari (reprodução do YouTube)
No comentário, Janice acusava Mazloum de tentar beneficiar um dos investigados na operação, o banqueiro Daniel Dantas. Sobre o assunto, a procuradora escreveu que “o juiz, exorbitando de suas funções, abre uma linha paralela de investigação pró-Dantas, sob o argumento de ‘interesses comerciais’”.

Janice também acusa o juiz de vazar informações sigilosas, citando em seu comentário que o crime estaria tipificado no artigo nº 325 do Código Penal. Ela se referia ao fato de, à época, o ex-sócio de Dantas, Luiz Roberto Demarco, supostamente ter tido acesso aos autos do processo, apesar de não ser parte.

Para Janice, as práticas fariam parte de um “esquema blindar e apartar os verdadeiros criminosos e denegrir a imagem dos investigadores”.

Três anos antes, em 2012, o comentário já havia resultado numa indenização de 50 mil reais para Mazloum por danos morais.

CLICK POLÍTICA com informações de DCM

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.