LEI DO RETORNO: Após trair Lula e Dilma, Marta fica fora do Senado em São Paulo

0

Sondada para ser candidata a vice-presidente na chapa de Henrique Meirelles, a senadora Marta Suplicy (MDB-SP) comunica ao presidente do MDB, Romero Jucá, na tarde desta sexta-feira, 3, que não só não irá aceitar a proposta, como não irá disputar a reeleição ao Senado e pedirá desfiliação do MDB.

“Estou deixando a vida parlamentar e partidária, mas tenho muitos planos e estudo novas trincheiras de participação política na sociedade. Vou continuar sempre participando ativamente da política brasileira”, disse Marta, segundo a colunista Eliane Cantanhêde, do Estado de S. Paulo.

Marta também lançou uma “Carta aos Paulistas”, em que agradece os 8,5 milhões de votos que teve para o Senado em 2010 e critica duramente os rumos da política brasileira. Diz que os partidos “encontram-se fragilizados, acuados e sem norte político” e demonstra frustração com o Parlamento, ao dizer que o Congresso Nacional “tornou-se refém de uma agenda atrasada dos costumes da sociedade”.

Filiada ao PT desde 1981, por onde se elegeu deputada federal em 1994, prefeita de São Paulo em 2000 e senadora em 2010, Marta Suplicy deixou a legenda em 2015 para apoiar o golpe parlamentar contra a presidente Dilma Rousseff, filiando-se ao então PMDB e passando a poiar o governo de Michel Temer.

CLICK POLÍTICA com informações de brasil247

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.