Marco Aurélio dá indireta para Moro, critica ‘justiçamento’ e pede “protesto na urna”

0

O ministro do STF (Supremo Tribunal Federal) Marco Aurélio Mello declarou nesta segunda-feira (13), em seminário sobre os desafios contemporâneos da democracia e das eleições, que a urna é “o local próprio ao protesto”.

Falando a dezenas de estudantes, no UniCEUB, em Brasília, o magistrado conclamou os participantes do evento a compreenderem a responsabilidade dele na escolha “daqueles que dirigirão o país”.

“O que precisamos é de homens públicos que observem que o cargo ocupado é para servir aos semelhantes, e não para aquele que está no cargo servir em benefício próprio e em benefício da família”, disse Mello.

O ministro alertou ainda que, na busca de dias melhores para o Brasil, não cabe “partir para o ‘justiçamento'”.

“Há uma ordem jurídica que precisa ser respeitada”, declarou Marco Aurélio, destacando que “o pior acusado” tem direito de defesa.

Também participaram da mesa a presidente do STF, ministra Cármen Lúcia, e o ministro Tarcísio Vieira de Carvalho Neto, do TSE (Tribunal Superior Eleitoral).

Depois da palestra, o ministro disse a jornalistas que os ministros buscam a conscientização, principalmente dos jovens.

“A quadra [o cenário] sugere uma certa apatia, irresignação muito grande. Mas nós precisamos fazer a nossa parte buscando dias melhores”, declarou.

Segundo Mello, há um leque de candidatos em todos os setores nas eleições. “Que, realmente, vençam os melhores”, declarou. Para ele, os índices de abstenção previstos para o pleito assustam.

UOL

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.