Reinaldo Azevedo na Folha: Lula teria sido solto se diretor da PF desligasse o telefone

0

O jornalista Reinaldo Azevedo reafirma, nesta sexta-feira, que o ex-presidente Lula foi condenado sem provas na Lava Jato e diz que ele teria sido solto, no último dia 8 de julho, se o diretor da Polícia Federal desligasse seu telefone. “Entes que se arvoraram em gerentes ou gendarmes da democracia não se mostram dispostos a voltar para a caixinha da Constituição. Um exemplo? A Polícia Federal está em movimento para eleger diretamente o diretor-geral. Rogério Galloro, atualmente no cargo, concede entrevista e deixa claro que descumpriu uma ordem judicial escrita e impressa e preferiu seguir embargos auriculares. Estivesse naquele 8 de julho com o telefone desligado, Lula teria sido solto”, diz ele, em sua coluna, publicada na Folha de S. Paulo.

No mesmo texto, ele reitera que Lula foi condenado sem provas. “Explica-se o pano de fundo: como o petista foi condenado sem provas —e foi!— e como está preso ao arrepio do Inciso LVII do Artigo 5º da Constituição —e está—, e como, adicionalmente, se deu de barato que seguir ‘a letra fria da lei’ prejudicaria a Lava Jato, teme-se agora que o triunfo de alguma heterodoxia conduza o país aos caos”, diz ele.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.