TRIO PARADA DURA: Processos de ex-ator pornô, MBL e Raquel Dodge contra Lula já estão na mesa de Barroso

0

Dois processos contra a candidatura do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) foram redistribuídos ao ministro Luís Roberto Barroso, do TSE (Tribunal Superior Eleitoral), na tarde desta sexta-feira (17).

Os processos, apresentados por dois advogados, de forma independente, tinham sido encaminhados para o ministro Admar Gonzaga antes de Barroso ser sorteado relator do pedido de registro da candidatura de Lula.

Na quinta-feira (17), a presidente do TSE, ministra Rosa Weber, decidiu que o processo de registro de candidatura deveria ser mantido com Barroso.

Após a decisão de Rosa, a área técnica do TSE redistribuiu a Barroso os processos dos dois advogados que estavam com Gonzaga. As ações são duas notícias de inelegibilidade contestando a candidatura de Lula.

Admar Gonzaga também é relator de outras duas ações contra Lula, apresentadas pelos candidatos a deputado federal Kim Kataguiri (DEM-SP) e Alexandre Frota (PSL-SP). Esses processos são impugnações à candidatura de Lula, um tipo diferente de ação eleitoral.

A expectativa é que elas também fiquem sob o comando de Barroso.

Nesta sexta-feira, Admar Gonzaga pediu que a presidente do TSE decida sobre a redistribuição das ações apresentadas por Kim Kataguiri e Alexandre Frota. No despacho, o ministro elogiou a decisão de Rosa Weber de manter o processo de Lula com Barroso.

No total, a candidatura de Lula já recebeu sete ações de contestação após ser registrada no TSE.

Além dos quatro processos que foram distribuídos ao ministro Admar Gonzaga, também a PGR (Procuradoria-Geral da República), o candidato a presidente Jair Bolsonaro (PSL) e o partido Novo pediram que a Justiça Eleitoral impeça que Lula seja candidato.

UOL

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.