Nassif: com Alckmin tão fraco, risco do TSE interferir aumenta

0

O jornalista Luis Nassif chama a atenção para o risco iminente de o TSE aparelhado cassar a candidatura do PT diante do liderança consolidada de Lula e a possibilidade de vitória no primeiro turno. Ele diz que, em função da perfomance pífia do candidato do golpe, Geraldo Alckmin, os nichos de poder incrustados na esfera judiciária tendem a agir mais uma vez de maneira criminosa: “por tudo isso, esta semana ainda o PT deverá registrar oficialmente Fernando Haddad como candidato, para impedir uma tentativa de impugnação da chapa toda, que já se desenha.”

Nassif aponta, no jornal GGN, a conjuntura eleitoral depois das mais recentes pesquisas, sobretudo a do Ibope: “um dos grandes condicionantes para a atuação dos tribunais superiores é a situação do candidato do PSDB Geraldo Alckmin. Ele é o continuador direto do golpe do impeachment, a grande esperança branca de manutenção do governo Michel Temer, expurgado da quadrilha que o acompanhou ao poder e da Ponte para o Futuro.”

O jornalista completa, observando a situação do candidato do golpe: “se Alckmin não tiver chance, o jogo ficará reduzido a Lula-Fernando Haddad e Bolsonaro. E aumentará a probabilidade de uma nova intervenção do TSE (Tribunal Superior Eleitoral) e do STF (Supremo Tribunal Federal), secundados pela Procuradoria Geral da República.

“Mais do que nunca está nítido que os tribunais definem politicamente a sentença e, depois, vão atrás da fundamentação. Foi assim com Paulo Maluf, quando em 2014 se candidatou a deputado federal. O plenário do TSE entendeu que o Tribunal de Justiça de São Paulo condenou Maluf pelas obras do túnel Ayrton Senna por ‘ato culposo’, e não ‘ato doloso’.”

CLICK POLÍTICA com informações de brasil247

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.