Villas Bôas homenageia soldados mortos no Rio e critica falta de “empenho” do governo

0

Em mensagem lida na cerimônia de comemoração do Dia do Soldado, nesta sexta-feira (24), o comandante do Exército, o general Eduardo Villas Bôas, homenageou os militares mortos em operações durante a intervenção federal no Rio de Janeiro e afirmou que as autoridades do estado não se “empenharam” na missão.

“Passados seis meses, apesar do trabalho intenso de seus responsáveis, da provação do povo e de estatísticas que demonstram a diminuição dos níveis de criminalidade, o componente militar é, aparentemente, o único a engajar-se na missão”, afirma a mensagem do general.

“Exigem-se soluções de curto prazo, contudo, nenhum outro setor dos governos locais empenhou-se, com base em medidas socioeconômicas, para modificar os baixos índices de desenvolvimento humano, o que mantém o ambiente propício à proliferação da violência”, conclui o texto.

A mensagem, assinada por Villas Bôas, foi lida por um oficial na cerimônia realizada no Quartel-General do Exército, em Brasília. O evento teve a participação do presidente Michel Temer (MDB).

Villas Bôas também homenageou os três militares mortos durante uma operação das forças de segurança nos complexos de favelas do Alemão, da Penha e da Maré, na zona norte do Rio de Janeiro.
“Vivemos tempos atípicos. Valorizamos a perda das vidas de uns em detrimento das de outros”, diz o comandante do Exército.

“Suas mortes tiveram repercussão restrita, que nem de longe atingiram a indignação ou a consternação condizente com os heróis que honraram seus compromissos de defender a pátria e proteger a sociedade”, afirmou o general.

O cabo Fabiano de Oliveira Santos e os soldados Marcus Vinícius Viana Ribeiro e João Viktor da Silva morreram após serem baleados durante a operação.

UOL

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.