Com a desmoralização de Moro, juristas acreditam que Barroso pode “voltar à Constituição” e deferir candidatura de Lula

CLICK POLÍTICA – O Ministro Luís Roberto Barroso está sendo pressionado pelo mundo jurídico a cumprir o que vinha defendendo sobre os tratados internacionais.

O magistrado que julgará Lula no Tribunal Superior Eleitoral, defendeu que decisões da ONU estão acima da lei brasileira, o que em tese, caso o ministro não se curve a vontade da Globo, a decisão do Comitê de Direitos Humanos prevalecerá.

Barroso mudou sua postura no STF após a “espetacularização” da Operação Lava Jato de Curitiba, porém, com a desmoralização de Moro no país, talvez, o relator do “caso Lula” volte para a Constituição Federal e ao que determina a lei.

Advogados afirmam que o vice-presidente do TSE entrou numa encalacrada sem precedentes, “entre a cruz e a espada”

Comentários estão fechados.