ELE QUER SER PRESIDENTE? Na entrevista do Ciro, Bonner foi que mais falou, detona PHA

Dos 27 minutos da entrevista do jornal nacional com Ciro Gomes, quem mais falou foram os entrevistadores.

Bonner tem uma dificuldade patológica de fazer perguntas.

Claro, ele nunca foi repórter na vida…

Na qualidade de leitor oficial das instruções que emanam do Ali Kamel, suas supostas perguntas são um libelo, uma acusação.

Ele tentou emparedar Ciro na cela da “corrupção” e passou a primeira parte da entrevista em cima desse tema que interessa mais à Globo Overseas e aos moralistas sem moral, como o Moro, que recebe auxílio-moradia, do que a qualquer outro.

Em seguida, Bonner foi mais Bonner que nunca: tentou provar ao Ciro que ele era um porra-louca porque disse “eu vou tirar você do SPC”.

Esse tema levou quatro horas e noventa e oito minutos na pergunta desconexa e nas intervenções ríspidas do Bonner, enquanto o Ciro tentava falar.

Ele não queria saber como o Ciro ia tirar você do SPC.

Mas por que o Ciro disse assim, na porra-louquice!

Um non-sense ridículo.

Para tentar demonstrar pela enésima vez que o Ciro é um desvairado.

Só que o Ciro se portou com uma frieza insuportável.

Qualquer ser humano que não fosse o Ciro teria cuspido na cara do Bonner.

Mas, o Ciro, não.

Tranquilo, sem gaguejar, à espera de poder falar.

Sem suar.

Irreconhecível.

Até que falou.

E fez o que Bonner tentava impedir.

Explicou como vai tirar você do SPC. Defendeu o Lula com unhas, dentes e competência.

(O Lula, na cadeia, obrigado a só assistir a tevê aberta, deve estar sensibilizado.)

Explicou o papel do consumo na estratégia para recuperar o crescimento econômico e que São Paulo tucano é o pai do PCC.

Ciro voltou a falar do fusível (que a Renatinha pensou que era “fuzil”): se houver impasse numa proposta como a reforma da Previdência, ele convoca um referendo: o fusível, e não fuzil…

Kamel tentou enredá-lo na “reforma” trabalhista, fazê-lo apoiar a abolição da abolição da Escravatura. Não conseguiu: Ciro denunciou isso aí como uma agressão aos direitos do trabalhador.

E, no capítulo da corrupção, assunto-mãe da ideologia que a Globo expressa, o Ciro lembrou que o Moro não prendeu um único tucano!

Apesar de toda a corrupção deslavada que praticam debaixo do nosso nariz.

Foi difícil, mas Ciro se impôs ao fuzilamento do Kamel, com a metralhadora portátil do Bonner.

No resto, um absurdo que uma emissora privada de televisão tenha esse poder de servir de palco privilegiado para um candidato a Presidente da República.

Pena que o Kamel não tenha perguntado ao Ciro como pretende enfrentar a Globo!

Em tempo: Kamel avisou que não entrevistará o Haddad.

Em tempo2: Renata Vasconcelos poderia ser poupada de ter que ler perguntas, submetida às interrupções grosseiras e machistas do Bonner. Desempenha o papel de que a Fátima Bernardes se cansou.

PHA

Comentários estão fechados.