LAVA JATO DERROTADA: Procuradores pedem que Lula seja entrevistado por vários veículos de comunicação

0

UOL

Após decisão do STF (Supremo Tribunal Federal) que autorizou a “Folha de S. Paulo” a entrevistar o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) na prisão, procuradores da Lava Jato solicitaram nesta sexta-feira (28) que o petista seja entrevistado também pelo UOL e demais veículos de imprensa.

Condenado em segunda instância por corrupção passiva e lavagem de dinheiro, Lula está preso na Superintendência da PF (Polícia Federal), em Curitiba, desde abril.

Continua depois da Publicidade

O pedido dos procuradores consta de um ofício enviado ao juiz federal Sergio Moro, da 13ª Vara Federal de Curitiba, na noite desta sexta. Eles solicitam que Lula seja entrevistado por todos os órgãos de imprensa que tiveram seus pedidos de entrevista ao petista negados pela juíza Carolina Lebbos, responsável pela execução da pena de Lula.

É o caso do UOL, que, em solicitação conjunta com Folha e SBT, encaminhou à juíza um pedido para sabatinar o ex-presidente em maio, quando Lula era o pré-candidato do PT à Presidência da República. Em julho, Lebbos negou o pedido e afirmou que a condição de pré-candidato não possuía validade jurídica e que a entrevista não se justificaria porque o petista se encontrava “inelegível”. A defesa do petista recorreu da decisão, mas a juíza manteve a negativa.

Mais cedo nesta sexta, o ministro do STF Ricardo Lewandowski autorizou a colunista Mônica Bergamo, da Folha, a entrevistar Lula na PF em Curitiba. A decisão foi proferida em um outro pedido realizado pelo jornal, que argumentou ao STF que a negativa da juíza Lebbos impôs censura à atividade jornalística e contrariou decisão anterior da Corte em relação à liberdade de expressão. O jornalista Florestan Fernandes, que fez pedido idêntico ao do jornal, também teve a solicitação autorizada.

No documento enviado a Moro, os procuradores ainda pedem que seja realizado um “evento único” para todos os órgãos de imprensa e jornalistas interessados em entrevistar Lula, “de modo a não beneficiar qualquer um deles pela repercussão que tal entrevista trará”.

Os procuradores argumentam, ainda, que a realização de “inúmeras entrevistas, de modo sucessivo”, poderia “inviabilizar” o funcionamento da Superintendência da PF, “dado que se trata de órgão público, que presta serviços à população e onde, inclusive, se encontram detidas outras pessoas”.

Lewandowski nega pedido da equipe de Lula
Em mais uma decisão nesta sexta, Lewandowski negou um pedido para que a equipe de comunicação de Lula possa gravar as entrevistas autorizadas à Folha e ao jornalista Florestan Fernandes.

Na decisão, Lewandowski aceitou em parte os pedidos dos advogados, mas somente para autorizar que as entrevistas sejam acompanhadas pela defesa.

Os advogados do ex-presidente haviam pedido autorização para que uma assessoria técnica na área de comunicação pudesse dar “suporte técnico necessário para a realização do ato e também para fazer os registros de áudio e em vídeo”.

*Com Agência Brasil

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.