GILMAR MENDES CRITICA SÉRGIO MORO: Judiciário não pode interferir nas eleições

0

O ministro do STF (Supremo Tribunal Federal) Gilmar Mendes criticou nesta segunda-feira (1º) decisões judiciais às vésperas das eleições. Em evento em São Paulo, Gilmar foi questionado sobre decisão do juiz federal Sergio Moro, responsável pela 1ª instância da Operação Lava Jato em Curitiba, de suspender o sigilo de parte das delações premiadas de Antonio Palocci, ex-ministro do governo de Luiz Inácio Lula da Silva.

Após palestra na Faculdade de Direito da USP (Universidade de São Paulo), Gilmar disse a jornalistas que tinha acabado de saber do caso pela imprensa, mas afirmou ser crítico a “todas essas intervenções do Judiciário”.

“Não vou falar sobre o caso. Eu tenho feito muitas críticas a todas essas intervenções do Judiciário [nas eleições] e acho que vai ter que se pensar em um modelo institucional [para evitar isso]”, defendeu.

Continua depois da Publicidade

Ele também falou em supostas tentativas de interferência de operações policiais e judiciais no processo eleitoral. “Se isso ocorre de maneira oportunista, ou com essa tendência, ou resulta nisto [interferência no processo eleitoral], isso não é correto”, disse.

Gilmar afirmou ainda que esse tipo de intervenção é provocada pelo que nomeou de “Partido da Polícia”, atribuindo o rótulo ao jornalista Reinaldo Azevedo.

CLICK POLÍTICA com informações de UOL

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.