Boulos na Globo: nunca estivemos tão perto de voltar à época da ditadura

0

No último debate presidencial antes do primeiro turno, realizado pela TV Globo nesta quinta-feira (4), os candidatos Fernando Haddad (PT) e Guilherme Boulos (PSOL) mantiveram um diálogo sobre democracia e os riscos da volta de uma ditadura no país, rompendo a lógica do confronto estimulada por este tipo de evento das emissoras de TV.

“Faz 30 anos que esse país saiu de uma ditadura. Muita gente morreu e foi torturada. Tem mãe que não conseguiu enterrar seu filho até hoje. Meu sogro me contou as torturas que sofreu. Se você vai poder votar é porque teve quem deu a vida por isso”, disse Boulos, emocionado, ao ser perguntado pelo petista sobre os riscos de eleger um candidato autoritário.

Haddad disse que o país corre sérios riscos. “Se foi possível gerar 20 milhões de empregos, se foi possível fazer o filho do pedreiro virar doutor é porque temos no Brasil a democracia. A liberdade é o que faz o povo ter direitos”, disse.

Continua depois da Publicidade

O candidato do PSOL lembrou que as pessoas estão debatendo sobre política na TV é porque muita gente morreu para que isso acontecesse. “Quando nasci o Brasil estava na ditadura. Não quero que minhas filhas cresçam na ditadura. Temos que dar um grito, botar a bola no chão e dizer: ditadura nunca”, respondeu, sendo aplaudido ao fim do discurso.

CLICK POLÍTICA com informações de brasil247

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.