CANALHICE: Globo deixa oficial de justiça notificar Ciro de uma da manhã e leva troco

0

Se o debate promovido pela Globo nesta quinta-feira (5), o último entre candidatos à Presidência da República antes do primeiro turno da eleição, ficou marcado pela relativa tranquilidade entre os presidenciáveis e ataques ao ausente Jair Bolsonaro (PSL), nos bastidores, a organização teve de correr para conter confusões ao final do encontro.

Ciro Gomes (PDT) deixou os estúdios da Globo furioso com a emissora. De tão bravo, o candidato não esperou nem a caminhada até o local designado para as entrevistas tradicionalmente concedidas após o debate. No meio do caminho, o pedetista parou e confidenciou a jornalistas o motivo de sua indignação: um oficial de Justiça havia entrado em seu camarim para notificá-lo de uma ação na Justiça eleitoral.

Rapidamente, os profissionais de imprensa o cercaram e a organização do debate teve dificuldade para solucionar a quebra de protocolo. A atitude de Ciro gerou correria entre repórteres, fotógrafos e cinegrafistas. Desolados, os produtores que trabalhavam no debate tentavam, sem sucesso, levar o candidato até o local certo.

Continua depois da Publicidade

Segundo o presidenciável, ele foi notificado de um processo na Justiça eleitoral movido pelo candidato do PSDB ao governo de São Paulo, João Doria, que teria sido chamado por Ciro de “farsante”. Há um processo do tucano contra o pedetista na Justiça do Rio por calúnia, difamação e injúria. A ação data de agosto de 2017, mas a intimação a Ciro foi expedida só nesta quinta.

“A Globo colocou o oficial de Justiça dentro do meu camarim. O Doria conseguiu que uma juíza do Rio de Janeiro mandasse o oficial de Justiça agora, uma hora da manhã, no camarim que a Globo deu, e a Globo deixou o cara entrar”, esbravejou o presidenciável.

A fúria sobrou até para um repórter da GloboNews, que fez a primeira pergunta da entrevista coletiva. Ciro atacou a Globo, em resposta transmitida ao vivo pelo canal por assinatura.

O pedetista afirmou que à emissora interessava a definição do resultado da eleição já no primeiro turno. “Claro que a Globo gostaria que fosse assim, mas ela felizmente não manda. Tem certa influência, mas não manda”, respondeu ele sobre a possibilidade da adoção do voto útil em Jair Bolsonaro, que hoje lidera as pesquisas.

CLICK POLÍTICA com informações de UOL

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.