Agência ofereceu 80 milhões de disparos ilegais pelo WhatsApp ao PSDB

0

Reportagem de Silvia Amorim no Globo informa que o consultor de marketing digital da campanha presidencial de Geraldo Alckmin (PSDB), Marcelo Vitorino, relatou ao jornal que participou de reunião em que uma empresa ofereceu ao partido a entrega de disparo de mensagens por WhatsApp para até 80 milhões de pessoas, usando cadastro de terceiros, o que é proibido por lei.

De acordo com a publicação, a oferta do serviço, segundo ele, foi feita pelo presidente da empresa DOT Group, Luiz Alberto Ferla, num encontro na sede do PSDB em Brasília em 11 de julho, antes do início da campanha eleitoral. Segundo o PSDB, o serviço não foi contratado. A reunião era com o PSDB Mulher, presidido pela ex-governadora do Rio Grande do Sul Yeda Crusius. Participaram também advogados, sócios do marqueteiro de Alckmin, Lula Guimarães, Vitorino, Yeda e assessores.

Na ocasião, o empresário, segundo Vitorino, fez uma apresentação sobre gestão de redes e falou sobre o uso do WhatsApp. Ele teria mostrado, num PowerPoint, números da base de dados que poderia ser usada no disparo em massa de mensagens para as candidatas do PSDB na eleição. “Ele falou que tinha uma base de contatos de até 80 milhões de pessoas para a qual poderia fazer disparos”, disse Vitorino, completa o Jornal O Globo.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.