EITA! Verba de Zema cresce 318%; R$ 600 mil não têm origem declarada

0

O candidato do Novo ao governo de Minas Gerais, o empresário Romeu Zema, 53, declarou à Justiça Eleitoral uma receita de R$ 2,9 milhões para a campanha, um aumento de 318% em relação ao primeiro turno, quando havia declarado valor de R$ 687 mil.

Sobretudo, a expansão foi sustentada por um aporte de R$ 300 mil do empresário Ricardo Antônio Vicintin, proprietário da Rima Industrial, e de seis doações de origem não identificada, que variaram de R$ 50 mil a R$ 200 mil, em um total de R$ 600 mil.

A campanha de Zema considerou o valor uma situação “natural” porque Zema lidera a disputa, segundo as mais recentes pesquisas divulgadas (leia mais abaixo).

Com isso, Vicintin se tornou o segundo maior doador da campanha do candidato do Novo. O maior, até o momento, é o empresário Salim Mattar, proprietário da Localiza, que doou R$ 700 mil. Mattar lançou pré-candidatura ao governo de Minas Gerais, no ano passado, mas acabou desistindo, abrindo caminho para a candidatura de Zema.

Doação sem identificação é ilegal, diz TRE
Essas doações que somaram R$ 600 mil representam mais de 20% da receita para este segundo turno da campanha do candidato. Segundo o TRE-MG (Tribunal Regional Eleitoral de Minas Gerais), essas contribuições são consideradas ilegais, e o candidato pode ter de devolver o dinheiro ao doador ou transferi-lo para o Tesouro Nacional.

Pelo artigo 24 da Lei 9.504, de 1997, “o partido ou candidato que receber recursos provenientes de fontes vedadas ou de origem não identificada deverá proceder a devolução dos valores recebidos ou, não sendo possível a identificação da fonte, transferi-los para a conta única do Tesouro Nacional”.

O candidato tucano, senador Antônio Anastasia (PSDB-MG), 57, por sua vez, declarou uma receita de R$ 12,5 milhões, ou 14% superior ao primeiro turno, quando declarou foram declarados R$ 10,9 milhões.

Os maiores doadores dessa campanha foram o diretório nacional da legenda, com R$ 5,2 milhões (42% do total), e Geraldo Alckmin, com R$ 2 milhões (16% do total).

A receita declarada pelo tucano é 334% superior à declarada por Zema.

CLICK POLÍTICA com informações de UOL

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.