ASSASSINATO DE MARIELLE FICARÁ IMPUNE, RECONHECE GOVERNO TEMER

0

Sete meses após o assassinato da ex-vereadora do Rio de Janeiro Marielle Franco (PSOL) e o motorista dela, Anderson Gomes, o governo federal admitiu, nos bastidores, que o crime não será desvendado, com punição dos responsáveis. A informação é da colunista do jornal O Estado de S.Paulo Eliane Cantanhêde, jornalista de direita e portas abertas na cúpula do governo Michel Temer.

“Sete meses depois, o governo federal joga a toalha e admite, nos bastidores, que o assassinato da vereadora e ativista Marielle Franco e do motorista Anderson Gomes jamais será esclarecido e seus responsáveis jamais serão punidos. Ao impedir a federalização das investigações, a Polícia do Rio de Janeiro praticamente garantiu a impunidade dos culpados. Polícia investigando polícia?! No Rio?!”, escreveu a colunista.

Marielle morreu no dia 14 de março, após sair de um evento no centro do Rio. A Polícia informou que os criminosos escolheram um ponto cego e cometeram o homicídio em um lugar sem câmeras.

Outro detalhe é que, segundo imagens de uma câmera de segurança acessadas pela Globo, um carro se desloca logo após o veículo de Marielle sair (confira aqui a partir de 1min05s). Os bandidos também perseguiram a ex-parlamentar por cerca de quatro quilômetros e atiraram a cerca de 2 metros de distância.

A suspeita é de o crime tenha sido encomendado. A ex-parlamentar era ativista de direitos humanos e vinha denunciando a truculência policial contra as populações marginalizadas.

Neste mês de outubro, a Anistia Internacional escolheu Marielli como símbolo da sua maior campanha global por direitos humanos. O foco da campanha Write for Rights (Escreva por Direitos), deste ano são as mulheres, gênero e defensoras dos direitos humanos.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.