Bolsonaro escanteia a Globo e fala com a Record sobre Moro, “parecia um jovem recebendo um diploma”

0

Em sua primeira entrevista após o encontro com o juiz federal Sergio Moro, o presidente eleito, Jair Bolsonaro (PSL), disse que o magistrado parecia um “jovem universitário recebendo seu diploma” ao aceitar o convite para assumir o Ministério da Justiça e Segurança Pública.

“O vi como se fosse um jovem universitário recebendo seu diploma. Ele está com muita vontade de levar adiante a sua agenda. Isso me deixou feliz. Uma das coisas que mais aflige a população brasileira é a corrupção e ele a atacará de forma global no Brasil, não apenas na Lava Jato”, disse Bolsonaro em entrevista à TV Record que foi publicada nos perfis do presidente eleito nas redes sociais.

A emissora tem conseguido prioridade nas entrevistas com o presidente eleito. Ela foi a primeira a falar com Bolsonaro de forma exclusiva após o resultado das eleições. Nesta quinta-feira, a emissora voltou a ter prioridade depois da reunião com Moro.

Durante a campanha para a Presidência, o bispo Edir Macedo, líder da Igreja Universal do Reino de Deus e dono da emissora, declarou apoio à candidatura de Bolsonaro.

Batizado de “superministério”, a pasta que ficará sob o comando de Moro vai somar as estruturas da Justiça, Segurança Pública (inclusive a Polícia Federal), Transparência e Controladoria-Geral da União, além do Coaf (Conselho de Controle de Atividades Financeiras), este último hoje ligado ao ministério da Fazenda.

“Ele terá ampla liberdade para escolher todos os que comporão o seu segundo escalão. Ele é o chefe da Polícia Federal, que vai cuidar da questão da segurança, obviamente não é uma especialidade dele a Segurança Pública, mas bem assessorado e com a inteligência que lhe é peculiar, ele tomará as decisões adequadas nessa área”, disse Bolsonaro.

Segundo o presidente eleito, Moro já deve participar do processo de transição de governo.

“Ele não vai se afastar agora, vai entrar de férias –tem férias vencidas– e já participará da transição, sim. Começará a partir da semana que vem, tomar pé da situação como um todo e ir atrás de nomes”, disse.

CLICK POLÍTICA com informações de UOL

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.