Após repercussão negativa, SBT tira do ar comercial com slogan da ditadura

0

Da coluna do Mauricio Stycer no UOL

Para espanto geral, inclusive dos funcionários do SBT, Silvio Santos determinou nesta terça-feira (06) que a emissora levasse ao ar uma série de mensagens de 15 segundos enaltecendo o Brasil. Os spots resgatam músicas e slogans de campanhas nacionalistas promovidas durante o governo do general Médici (1969-1974), um dos períodos mais repressivos da ditadura militar (1964-1985).

Como em várias outras situações, o dono do SBT não consultou ninguém, nem deu explicações. Chamou um assistente, transmitiu as mensagens que gostaria de ver no ar e ponto final.

A mensagem que causou maior choque foi a primeira, exibida no intervalo do “Fofocalizando”. Ao som do Hino Nacional, exibe cartões postais de algumas cidades e termina com o locutor oficial do SBT dizendo: “Brasil: ame-o ou deixe-o!” Este slogan, dirigido a quem se opunha à ditadura, se tornou um dos símbolos do regime militar.

Diante da repercussão negativa, a mensagem foi retirada do ar ainda na tarde desta terça-feira. Teria sido um erro, segundo o blog ouviu de duas fontes da emissora, já que a intenção inicial de Silvio seria de promover uma mensagem de união do Brasil. As demais cinco mensagens continuam sendo exibidas.

Uma delas repete as mesmas imagens, mas ao som de “Eu te amo, meu Brasil”, canção popularizada pela dupla Dom e Ravel no mesmo período. E uma outra lembra trechos do hino “Pra frente Brasil”, de autoria de Miguel Gustavo, que embalou a seleção brasileira na Copa de 1970 ( “Noventa milhões em ação / Pra frente Brasil / Do meu coração”).

As mensagens não trazem a assinatura do SBT, nem de qualquer anunciante. A assessoria da emissora confirma que é uma criação própria, mas não recebeu nenhuma explicação sobre “as questões estratégicas” que levaram esta enigmática campanha ao ar.

(…)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.