MERCADANTE SOBRE BOLSONARO: Chances desse governo dar com burros n´água são altíssimas”

0

Despreparo, improvisação e desmonte do Brasil. Esse é o diagnóstico do ex-ministro Aloizio Mercadante ao analisar os primeiros dias de composição do governo Bolsonaro, que tem causado uma série de mal-entendidos e polêmicas, sem nem mesmo ainda ter tomado posse. O ex-ministro enfatizou, durante o programa Brasil Primeiro, que a extrema-direita no poder tende ao fracasso.

“Não existe time e confiança um no outro, são pessoas inexperientes, algo extremamente precário; as chances desse governo dar com burros n´água são altíssimas”, projeta.

De acordo com o ex-ministro, Bolsonaro é o improviso em pessoa. “Não existe time e confiança um no outro, são pessoas inexperientes, algo extremamente precário. As chances desse governo dar com burros n´água são altíssimas”, projeta.

Apesar de poucos dias eleito presidente, Bolsonaro já promove uma série de ataques através da diplomacia brasileira. Os constrangimentos vão desde a subestimação das relações comerciais com o Mercosul, ataques às relações com a China e o incomodo gerado no mundo Árabe, ao declarar que irá mudar a embaixada brasileira de Tel Aviv, em Israel, para Jerusalém.

Mercadante classifica as ações de Bolsonaro como gravíssimas, dizendo que “em nenhum episódio da história da diplomacia brasileira ocorreram ataques desse tipo” e alerta: “o mundo perderá a confiança no Brasil”.

Ele afirma que o soft power (poder suave) da diplomacia tem como princípios básicos respeito à determinação dos povos. “E o PT, com o ex-ministro Celso Amorim, retirou o País da subordinação internacional, promovendo a interação com o Mercosul e os Brics”, relembra.

Economia

Expondo as diretrizes econômicas do governo Bolsonaro, Mercadante classifica a proposta de unificar os ministérios do Planejamento, Orçamento, Fazenda e Indústria como “um completo desastre em todos os sentidos”.

Ele rechaça a proposta de Paulo Guedes, futuro ministro da economia de Bolsonaro, em propor a fusão entre o Banco do Brasil e o Bank of América. “O Banco do Brasil possui mais de 200 anos de história, nenhum governante se atreveu a mexer com ele, se Guedes vendê-lo, a retomada do Brasil se tornará cada vez mais difícil”, critica.

O ex-ministro também lamenta o fim do ministério do Trabalho, que será fundido a outros ministérios, como indicou o presidente recém-eleito. “O ministério é uma relação fundamental de diálogo do governo e o trabalhador, deve humanizar as relações no mundo do trabalho. É a intensificação máxima da precarização”, condena.

Repressão

Com o decreto 9.527/2018, assinado por Temer, que unifica todos os serviços de informação e inteligência do Estado brasileiro e dá poderes civis às Forças Armadas, Mercadante acredita que a criminalização dos movimentos sociais será intensa. “É uma estrutura autoritária semelhante ao do SNI/DOPS da ditadura militar”, alerta.

CLICK POLÍTICA com informações de brasil247

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.