CAOS INSTALADO: Sem cubanos, mais de 500 cidades em extrema pobreza ficam sem médicos; CONFIRA!

0

Cidades em situação de extrema pobreza estão entre as mais afetadas pela saída dos profissionais cubanos do programa Mais Médicos. O levantamento considera nessa condição locais em que 30% ou mais da população tem renda familiar per capita de até R$ 77 mensais.

Segundo o estudo, feito pela CNM (Confederação Nacional dos Municípios), 577 localidades em extrema pobreza têm apenas cubanos participantes do programa federal e estão desassistidas. Quase todas ficam nas regiões Norte e Nordeste. Ao todo, elas perderão 1.348 profissionais.

“Os dados também mostram que 1.479 municípios somente possuem cubanos no programa, sendo que 80% dessas localidades são de pequeno porte (com menos de 20 mil habitantes) e estão em regiões vulneráveis”, aponta a confederação.

Os cubanos já começaram a deixar os postos de trabalho por todo o país e iniciaram seu retorno ao país caribenho. A ideia é que todos tenham saído do Brasil até o início de dezembro.

Ao mesmo tempo, o governo brasileiro tenta suprir substitutos para essas vagas. Para tanto, na quarta-feira (21) teve início a inscrição de médicos brasileiros ou com registro válido no país.

CLICK POLÍTICA com informações de UOL

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.