E AGORA? Moro comandará órgão que descobriu repasse para Michelle Bolsonaro

Por Kiko Nogueira do DCM:

O caso da “movimentação atípica” de R$ 1,2 milhão na conta de um ex-assessor de Flávio Bolsonaro causa um problema não só para o governo como um todo, mas para Sergio Moro especificamente.

- Publicidade -

Uma gestão que nem se iniciou já aparece com denúncias de corrupção e caneladas entre seus caciques de dar gosto.

A futura primeira dama aparece premiada com um cheque de R$ 24 mil que não teve qualquer explicação oficial.

No Twitter, Flávio escreveu que “Fabrício Queiroz trabalhou comigo por mais de dez anos e sempre foi da minha confiança. Nunca soube de algo que desabonasse sua conduta”.

“Em outubro foi exonerado, a pedido, para tratar de sua passagem para a inatividade. Tenho certeza de que ele dará todos os esclarecimentos”.

O PM Queiroz, ex-motorista e segurança de Flávio, estava numa lista de 22 funcionários que, segundo o Coaf, Conselho de Controle de Atividades Financeiras, mexeram com um dinheiro incompatível com seus vencimentos.

Essa relação estava com o Ministério Público. Deu origem à Operação Furna da Onça, focada em esquemas na Alerj. Nem ele e nem Flávio foram alvos.

O filho de Jair quer que o antigo empregado esclareça a parada. Vai ter que combinar com ele e os russos.

E se Fabrício abrir o bico?

A imprensa já se encarregou de varrer a história para o rodapé, substituída por mais um capítulo da delação picareta de Palocci envolvendo Lula.

A partir de 1º de janeiro, o Coaf passa a responder a Moro em suas atribuições no Ministério da Justiça e Segurança Pública. Ele ainda não definiu quem será o chefe do órgão.

Se a investigação for aberta, Moro terá que mostrar que o “indulto” a Onyx Lorenzoni (“Tem minha confiança pessoal”) foi um deslize e levará o imbroglio envolvendo a mulher do chefe às últimas consequências.

Se não for aberta, pior ainda.

Seu caminho para a presidência em 2022 não será tão fácil quanto parecia.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

For security, use of Google's reCAPTCHA service is required which is subject to the Google Privacy Policy and Terms of Use.

I agree to these terms.