Mourão diz que “não faz sentido” PSL brigar pela Câmara e defende Maia

0

O futuro vice-presidente, Hamilton Mourão (PRTB), afirmou na última sexta-feira (14) que o governo e o PSL devem apoiar a reeleição de Rodrigo Maia (DEM-RJ) para a presidência da Câmara dos Deputados. Entretanto, ele disse que o partido fará oposição a candidatura de Renan Calheiros (MDB-AL) ao comando do Senado Federal.

As declarações foram dadas em uma reunião em Brasília com empresários e advogados, organizada pela XP Investimentos, no hotel Royal Tulip. Mourão declarou aos participantes do encontro que Maia tem um perfil reformista, conhece a dinâmica da Câmara e mantém uma boa relação com os partidos políticos.

“Ele declarou que não há sentido o PSL, um partido que está se formando agora, brigar pela Câmara. O Maia é reformista e Bolsonaro entendeu isso. No Senado, ele afirmou que não há como o governo e o partido conversarem com o Renan”, declarou um participante da reunião.
Maia tenta a reeleição para presidir a Câmara até 2020. Entretanto, não há unanimidade no PSL entorno do nome do parlamentar carioca. Uma ala do partido defende uma candidatura própria e outra pretende apoiar o atual presidente.

Na última semana, o presidente do PSL, Luciano Bivar (PE), declarou que o partido “não tem vaidade” para assumir o controle da Câmara dos Deputados.

No Senado, Renan articula a volta à presidência. O deputado Major Olímpio (PSL-SP), eleito senador, já declarou que não votará no candidato do MDB.

Filho de Bolsonaro, o futuro senador Flavio Bolsonaro (PSL-RJ) criticou a possível candidatura de Renan Flavio disse que Renan “queimou a largada” ao se lançar para o cargo e disse que o emedebista está “articulando” e “assediando” novos senadores que ele “nem conhece”.

CLICK POLÍTICA com informações de UOL

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.