BOLSONARO ATACA BNDES E TRAMA SUA DESTRUIÇÃO

Jair Bolsonaro voltou a atacar o BNDES com mais um tweet na manhã desta segunda-feira (7), enquanto a gestão do banco, controlada pelo bolsonarismo, está liquidando a instituição, num processo iniciado durante o governo de Michel Temer, na sequência do golpe de 2015/2016. Com seu estilo “deixa-que-eu-chuto” acusou o banco genericamente de ter uma “caixa preta” e deu como exemplo de contrato irregular um convênio com a Funai. Quase que simultaneamente ao ataque, o diretor financeiro do BNDES, Carlos Thadeu de Freitas, afirmou neste domingo que o o banco devolverá neste ano R$ 100 bilhões ao Tesouro Nacional. O ministro da Fazenda, Paulo Guedes, dias atrás, chegou a falar numa sangria de R$ 200 milhões no banco (aqui).

Veja o tweet de Bolsonaro

- Publicidade -

Com poucos dias de governo, não só a caixa preta do BNDES, mas de outros órgãos estão sendo levantados e serão divulgados. Muitos contratos foram desfeitos e serão expostos, como o de R$ 44 milhões para criar criptomoeda indígena que foi barrado pela Ministra Damares e outros.

— Jair M. Bolsonaro (@jairbolsonaro) 7 de janeiro de 2019
O ataque do governo bolsonarista ao BNDES, com um objetivo explícito de sua extinção, está na sequência da ofensiva pós-golpe. Em 2018, o volume de recursos emprestados pelo BNDES retornaram ao nível registrado em 1999, quando os desembolsos somaram R$ 70,4 bilhões. O ano em que o BNDES mais promoveu desembolsos foi o de 2010, último ano da gestão do então presidente Lula, quando foram emprestados R$ 275,6 bilhões. Desde o golpe, o banco está deixando de ser um elemento de impulsionamento do desenvolvimento nacional.

Quanto à questão do contrato para a emissão de uma criptomoeda indígena, ele foi celebrado no dia 28 de dezembro, no apagar das luzes do governo Temer, entre a Fundação Nacional do Índio (Funai), a Universidade Federal Fluminense (UFF) e o BNDES parsa diversas iniciativas, como elaboração de serviços como mapeamento funcional, criação de banco de dados territoriais e estudo para implementação de uma criptomoeda para populações indígenas.

Bolsonaro participará nesta segunda-feira da cerimônia de posse do novo presidente do BNDES, o ex-ministro da Fazenda Joaquim Levy, no Palácio do Planalto. Também tomarão posse no mesmo evento os novos presidentes do Banco do Brasil, Rubem Novaes, e da Caixa, Pedro Guimarães.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

For security, use of Google's reCAPTCHA service is required which is subject to the Google Privacy Policy and Terms of Use.

I agree to these terms.