Em solenidade, Paulo Guedes fala em tentar “sintonia” com Bolsonaro

0

Após divergências entre o presidente Jair Bolsonaro e membros do governo na semana passada, o ministro da Economia, Paulo Guedes, tentou mostrar que está em sintonia com o presidente.

Durante a posse dos novos comandantes de bancos públicos, nesta segunda-feira (7), Guedes afirmou que os escolhidos para os cargos trabalharão para acabar com o que chamou de falcatruas nas instituições controladas pelo governo.

“A população brasileira cansou de assistir a esse desvirtuamento e, nesse caso, usando a máquina de crédito do Estado. Os bancos públicos se perderam em grandes problemas com piratas privados, burocratas corruptos e criaturas do pântano político que se associaram contra o povo brasileiro”, disse.

“Caixas-pretas” dos bancos

Guedes declarou que o trabalho dos presidentes dos bancos passa por um alinhamento com o Bolsonaro, que estaria interessado em acabar com privilégios e abrir as “caixas-pretas” dos bancos. “O BB recebeu aumento de capital lá atrás, e a Caixa foi vítima de saques e fraudes. Vamos abrir essas caixas-pretas.”
O discurso reflete declarações dadas por Bolsonaro mais cedo. Em mensagem no Twitter, o presidente disse que sua equipe está levantando informações do BNDES e de outros órgãos do governo e irá divulgá-las, e que alguns contratos já foram desfeitos. Ele também falou em abrir as “caixas-pretas” dos bancos.

Segundo Guedes, o uso do crédito público foi desvirtuado no Brasil, sobretudo para ajudar empresas que tinham boa relação com os governos anteriores. “Quando o crédito é estatizado sobre menos para o resto do Brasil. Aí os juros são absurdos. E, às vezes, para fazer a generosidade correta, financiam isso com endividamento em bola de neve”, disse.

A cerimônia de posse dos presidentes do Banco do Brasil, do BNDES, e da Caixa Econômica Federal ocorre após idas e vindas no governo, na sexta-feira, sobre possíveis mudanças tributárias envolvendo IOF e Imposto de Renda.

Assumiram a direção dos bancos:

Banco do Brasil: Rubem Novaes
BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social): Joaquim Levy
Caixa Econômica Federal: Pedro Guimarães
“Vamos combater o patrimonialismo”, diz chefe do BNDES
Após assinar o termo de posse, o presidente do BNDES, Joaquim Levy, afirmou que o país está próximo de um novo ciclo de investimentos, com uma economia mais aberta.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.