Bolsonaro vai às redes sociais tentar justificar cargo para amigo pessoal; CONFIRA!

0

“Victor Nagen, Capitão da Marinha, mestre em Adm. pela Coppead/UFRJ e funcionário da Petrobras há 11 anos, assumirá a Gerência Executiva de Inteligência e Segurança Corporativa da empresa. Apesar de brilhante currículo, setores da imprensa dizem que é apenas ‘amigo de Bolsonaro'”, escreveu o presidente Jair Bolsonaro, para tentar justificar a promoção de seu amigo na estatal. A questão é: se tem tanto talento, por que a promoção ocorre justamente agora?

Confira o tweet e reportagem da Reuters a respeito:

Victor Nagen, Capitão da Marinha, mestre em Adm. pela Coppead/UFRJ e funcionário da Petrobras há 11 anos, assumirá a Gerência Executiva de Inteligência e Segurança Corporativa da empresa. Apesar de brilhante currículo, setores da imprensa dizem que é apenas “amigo de Bolsonaro”.

— Jair M. Bolsonaro (@jairbolsonaro) 11 de janeiro de 2019
(Reuters) – O presidente Jair Bolsonaro afirmou na noite de quinta-feira, em mensagem no Twitter, que o capitão-tenente da reserva da Marinha Carlos Victor Guerra Nagem será o novo gerente executivo de Inteligência e Segurança Corporativa da Petrobras.

“A seguir o currículo do novo Gerente Executivo de Inteligência e Segurança Corporativa da Petrobras, mesmo que muitos não gostem, estamos no caminho certo!”, disse Bolsonaro na mensagem.

De acordo com o currículo publicado pelo presidente, Nagem é funcionário da Petrobras há 11 anos, dos quais seis atuando na área de segurança corporativa. Ele é administrador graduado pela Escola Naval e capitão-tenente da reserva da Marinha.

O nome de Nagem será submetido aos procedimentos internos de governança corporativa da Petrobras, segundo o presidente.

Antes mesmo da posse de Bolsonaro e do presidente indicado por ele para a Petrobras, o economista Roberto Castello Branco, a então gerente de Inteligência e Segurança Corporativa da estatal, Regina de Luca, foi demitida do cargo no mês passado.

A executiva, que foi secretária nacional de Segurança Pública no governo da ex-presidente Dilma Rousseff, teria sido desligada devido à sua ligação anterior com o PT.

CLICK POLÍTICA com informações de brasil247

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.