Início Geral LOUCO POR DITADORES? Bolsonaro exalta presidentes militares e ditador paraguaio por ocasião de solenidade em Itaipu; SAIBA!

LOUCO POR DITADORES? Bolsonaro exalta presidentes militares e ditador paraguaio por ocasião de solenidade em Itaipu; SAIBA!

por Portal Click Política

O presidente Jair Bolsonaro (PSL) exaltou hoje todos presidentes da ditadura militar brasileira (1964-1985) e o general Alfredo Stroessner, ditador que governou o Paraguai entre 1954 e 1989, durante a cerimônia de posse do novo diretor-geral da Itaipu Binacional, o general Joaquim Silva e Luna, em Foz do Iguaçu (PR). A cerimônia contou com a presença do presidente do Paraguai, Marito Abdo, a quem Bolsonaro saudou como “paraquedista”.

“Queria relembrar aqueles que foram os responsáveis por essa obra. Isso tudo, as primeiras tratativas começaram ainda lá atrás no governo do Marechal Castello Branco, o homem que foi eleito presidente do Brasil no dia 11 de abril de 1964 “, disse Bolsonaro no início de seu discurso.

Castello Branco foi o primeiro presidente da ditadura militar brasileira, considerado um dos principais líderes do Golpe de 1964 e eleito indiretamente pelo Congresso Nacional. “Tomou posse no dia 15 de março, tudo à luz da Constituição vigente naquele momento”, afirmou o presidente.

Na sequência, Bolsonaro afirmou que, pela grandiosidade da obra de Itaipu, tratativas avançaram “no nosso governo”, e citou todos os presidentes militares: Costa e Silva, Emílio Garrastazu Médici. ‘No governo seguinte do presidente Ernesto Geisel a obra saiu do papel, tomou corpo e Itaipu começou a tornar-se uma realidade”.

E completou: “No governo seguinte, do general saudoso e querido João Baptista de Oliveira Figueiredo, inaugurou-se a terceira turbina.” A usina hidrelétrica de Itaipu foi construída durante os governos militares dos dois países.

Os primeiros acordos de cooperação entre os dois países tiveram início ainda na década de 1960, mas a formalização da sociedade binacional aconteceu em 1973 com a assinatura do tratado que estabeleceu as regras de financiamento para a obra, operação e divisão da energia que seria produzida.

Dirigindo-se a Marito Abdo, Bolsonaro afirmou que a construção de Itaipu não teria sido possível sem a atuação de Stroessner, a quem chamou de “homem de visão e estadista, que sabia perfeitamente que seu país Paraguai só poderia prosseguir, progredir, se tivesse energia”.

“Então aqui, a minha homenagem ao general Alfredo Stroessner”, disse. O primeiro giro mecânico das turbinas de Itaipu aconteceu em 1983, mas a usina entrou em operação apenas no ano seguinte, sendo inaugurada pelos presidentes militares Figueiredo e Stroessner.

As duas últimas turbinas da hidrelétrica só foram inauguradas 33 anos depois da sua construção pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Deixe seu Comentário

Você também pode gostar

Deixe o Comentário

Este site utiliza cookies para melhorar sua experiência em anúncios, clique em aceitar para fechar esta janela. Aceitar