Suspensos por companhias após acidente na Etiópia, quase 1/3 dos Boeing 737 MAX 8 já está fora de operação




De 351 aviões desse modelo operados por companhias, 121 estão com suas viagens suspensas. Cerimônia de entrega do Boeing 737 Max 8 para operação na China
Thomas Peter/Reuters
Um dia após a queda de um avião na Etiópia, diversas companhias aéreas suspenderam as operações com aeronaves do mesmo modelo. Segundo dados compilados do site planespotters.net, que cataloga frotas de aviões no mundo, existem ao menos 47 companhias que têm, juntas, 351 aviões do modelo 737 MAX 8 da Boeing entre seus aviões. Delas, pelo menos 19 suspenderam seu uso, totalizando 121 aeronaves fora de operação até agora.
No domingo (10), a queda de um avião da Ethiopian Airlines deixou 157 mortos e foi o segundo acidente em 5 meses envolvendo um 737 MAX 8, que é a versão mais recente do avião comercial mais vendido no mundo. No fim de outubro de 2018, 189 pessoas morreram em um voo da indonésia Lion Air.
Oficiais da polícia federal da Etiópia trabalham no local onde o avião do voo ET 302 da Ethiopian Airlines caiu, perto da cidade de Bishoftu, perto da capital Addis Abada
Tiksa Negeri/Reuters
O país com mais aviões do tipo 737 MAX 8 fora de operação é a China, cujas autoridades ordenaram a suspensão pelas companhias. Com a determinação, somente a China Southern Airlines deixa de voar com 22 aviões. A Air China, com 15.
Os dados levam em consideração apenas os aviões de uso de companhias aéreas – ou seja, não consideram aeronaves de uso particular.
No Brasil, a única companhia a contar com aeronaves desse modelo em sua frota é a Gol. No final da tarde, a companhia anunciou a suspensão temporária do uso de seus 7 aviões.
Companhias que usam Boeing 737 Max 8
Diversos países adotaram medida de restrições ao uso do 737 MAX 8. Além da China, na Indonésia autoridades mandaram empresas pararem de voar com modelo. Na Argentina, a associação argentina de pilotos de avião divulgou um comunicado anunciando a decisão de não permitir que membros da entidade pilotem aviões Boeing 737 Max 8.
Há ainda decisões de companhias de suspenderem viagens com aviões desse modelo: Ethiopian Airlines (empresa etíope proprietária da aeronave que caiu), Cayman Airways (das Ilhas Cayman), Comair (África do Sul), Royal Air Maroc (Marrocos) e Aeromexico (México), além da Gol, no Brasil.
Já nos Estados Unidos, a FAA, agência federal de aviação dos Estados Unidos, informou não haver, “até o momento”, relação entre a queda do Boeing 737 Max 8 na Etiópia, e o acidente com o avião do mesmo modelo da Lion Air, na Indonésia, em 29 de outubro de 2018.
(* colaborou Ricardo Gallo)
Initial plugin text

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

For security, use of Google's reCAPTCHA service is required which is subject to the Google Privacy Policy and Terms of Use.

I agree to these terms.